Projeto de fertilidade visa continuidade da espécie de rinocerontes-brancos do norte

Último macho da espécie morreu no ano passado, mas o sêmen do animal foi congelado para posterior inseminação artificial
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Biodiversidade
Publicado em: 10/07/2019

A Merck, empresa líder em ciência e tecnologia, em conjunto com o Instituto Leibniz de Zoologia e Pesquisa da Vida Selvagem e a Aventea, especialista em reprodução assistida de animais de grande porte, está trabalhando para salvar a espécie de rinocerontes brancos do Norte.

Divulgação/Merck
Divulgação/Merck

A última população silvestre remanescente de rinocerontes na República Democrática do Congo perdeu-se em combates na região durante os anos 90 e início dos anos 2000. O último macho da espécie morreu em 2018, restando apenas duas fêmeas da espécie no mundo.

Antes de sua morte, amostras de sêmen do macho foram coletadas e congeladas. O objetivo é a utilização futura do sêmen na fertilização em laboratório, utilizando os óvulos coletados das duas rinocerontes brancas do Norte vivas.
Inicialmente os cientistas utilizaram a técnica de fertilização in vitro em rinoceronte branco do Sul, com a coleta de óvulos de uma fêmea do zoológico da Polônia e o espermatozoide de um macho de um zoológico da Áustria. Caso a gravidez tenha sucesso, irão repetir a técnica na espécie de rinocerontes brancos do Norte.

Os embriões fecundados serão cultivados na incubadora Geri® de tecnologia de reprodução assistida da Merck, em Berlim, na Alemanha. Por meio de um software especializado, o Geri® Connect e Assess, o embrião é monitorado em tempo real e os principais eventos no desenvolvimento podem ser detectados automaticamente.

Caso o processo seja concluído com sucesso, pode ser ampliado para a conservação e a biodiversidade de outros mamíferos ameaçados em todo o mundo. Embora haja um longo caminho a percorrer nesta jornada, há esperança que este projeto resulte no primeiro filhote do rinoceronte branco do Norte para o mundo desde o ano 2000.

A Merck possui uma vasta experiência na área de fertilidade, com um portfólio completo para realizar os desejos de mães e pais aspirantes e, até o momento, estima-se que 3 milhões de bebês tenham nascido com a ajuda dos tratamentos da empresa.

Fonte: Imagem Corporativa


Postar comentário