Prêmio Hugo Werneck reconhece destaques ambientais de 2019; veja vencedores

Décima edição do Prêmio Hugo Werneck teve como temática a energia solar
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Prêmio Hugo Werneck
Publicado em: 02/12/2019

Em noite de gala na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte, a décima edição do Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza homenageou nesta segunda-feira os destaques ambientais de 2019. Ao todo, foram entregues 15 prêmios para selecionados diferentes.

A lista de premiados contempla autoridades, populares e instituições diversas. Veja, abaixo, os vencedores da noite:

Décima edição do prêmio aconteceu na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte (Foto: Gláucia Rodrigues/X Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza)
Décima edição do prêmio aconteceu na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte (Foto: Gláucia Rodrigues/X Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza)

- Melhor exemplo em biodiversidade: projeto “Parque das Neblinas”, do Instituto Ecofuturo

- Melhor exemplo em educação ambiental: projeto “Edukatu - Rede de Aprendizagem Para o Consumo Consciente”, do Instituto Akatu

- Melhor exemplo em mobilização social: projeto “Hortas Orgânicas com Economia de Água”, do Centro de Educação Popular e Formação Social (CEPFS) Paraíba

- Destaque legislativo: Noraldino Lúcio Dias Júnior (PSC), deputado estadual de Minas Gerais

- Destaque político: José Fernando Aparecido de Oliveira (MDB), prefeito de Conceição do Mato Dentro

- Melhor exemplo em resíduos sólidos: projeto “Frutos da Reciclagem no Maior Hospital de Minas Gerais”, da Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte

- Melhor exemplo em resíduos sólidos: Ysaac Júnior Gonçalves, ambientalista mirim

- Melhor projeto de parceiro sustentável: projeto “Recuperação Ambiental do Ribeirão Santo Antônio do Grama”, da AngloAmerican Minério de Ferro S. A.

- Melhor empresa: FCA Fiat Chrysler Automóveis - polo automotivo Jeep

- Melhor empresário: Edvaldo Lopo de Alkmim, da Fazenda e Laticínios Vista Alegre, em Manga

- Homenagem ambientalista histórico: José Israel Vargas e Octávio Elísio Alves de Brito

- Destaque internacional: Anna Luísa Beserra, jovem cientista e ambientalista

- Melhor exemplo em energia solar: projeto “Unileão Sustentável”, do Centro Universitário Doutor Leão Sampaio, de Juazeiro do Norte

- Homenagem especial: Romeu Zema (Novo), governador do Estado de Minas Gerais

- Personalidade do ano: Cida Mendes, atriz

"A proposta do prêmio é dar eco, dar moldura às pessoas, às organizações que fazem o bem para a natureza. Hoje vivemos o juízo final climático, tem pessoas que colocam fogo na Amazônia e fragilizam o Acordo de Paris e outras, anônimas, que protegem florestas, nascentes. Entçao queremos mostrar o bem, que não é só o mal que existe", disse Hiram Firmino, diretor-geral e editor da Revista Ecológico.

"O prêmio visa valorizar empresas que apoiam sustentabilidade, outras iniciativas. É o reconhecimento de todos os atores do meio ambiental, e isso é muito importante para valorizar as melhores práticas e induzir outras a tomar atitudes semelhantes", disse Flávio Roscoe, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

"Fico extremamente satisfeito do nosso governo estar contribuindo com o rojeto da energia fotovoltáica. É uma energia limpa, que tem potencial de mudar a matriz energética do nosso estado", disse o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), após ser homenageado.

"O prêmio selou o seu lugar no calendário dos melhores prêmios ambientais do país, isso é muito importante. Isso se deve às tiragens da revista e como circula, mas tabmém ao engajamento do Hiram Firmino. O meio ambiente é uma ação transversal, não é patricado unilateralmente por uma secretaria, todas as outras também auxiliam. O prêmio vem mostrar que essas ações de boas práticas podem vir voluntárias e da sociedade, e uma forma de enaltecer isso tem que ser bem vista", disse Germano Luiz Gomes Vieira, Secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais.

O prêmio

A décima edição teve como temática a energia solar, com o lema “a sustentabilidade no Sol – De Van Gogh à energia solar”. Além de garantir a sobrevivência das espécies animais e vegetais, 60% da energia do astro mais brilhante da Via Láctea que chega ao nosso planeta são responsáveis pelo aquecimento do ar, da água e da terra, alimentando o ciclo de chuva.

As plantas usam a energia solar para seu crescimento e para capturar gás carbônico e oxigênio, que forma o ar que respiramos. A incidência dos raios solares também vem sendo transformada, com êxito, em energia limpa, mais barata e que gera menos impacto ambiental por não ter combustíveis fósseis como matéria-prima.

Além de sua importância cultural – povos antigos consideravam o Sol o mais poderoso dos deuses -, ele é inspiração para grandes artistas, como o pintor holandês Vincent Van Gogh, cuja obra foi homenageada na décima edição do Prêmio Hugo Werneck.

O Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza foi criado em 2010, em homenagem ao ambientalista mineiro Hugo Werneck (1919-2008). Um dos precursores da consciência ecológica na América Latina (ele foi o fundador do Centro para a Conservação da Natureza e defensor da criação de importantes áreas verdes de Minas Gerais, como os parques Nacional da Serra do Cipó e Estadual do Rio Doce), Dr. Hugo acreditava que só o amor, a informação e a educação ambiental podem mudar a atitude do ser humano em relação ao meio ambiente e à natureza que nos resta.

Idealizado pela Revista Ecológico e pela Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), o prêmio tem como parceiros, além do Sistema Fiemg (Sesi-Senai), a participação do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e seus órgãos colegiados – IGAM, IEF e FEAM.

E, a nível nacional, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A supervisão técnica da Fundação Dom Cabral. A legitimação do Centro Hugo Werneck de Proteção à Natureza. O apoio da Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda) e o engajamento da Fundação SOS Mata Atlântica.


Postar comentário