MP confirma devastação de Mata Atlântica no Vale do Jequitinhonha

Área foi alvo de fiscalização na primeira semana de dezembro

Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Meio Ambiente
Publicado em: 13/12/2018

Na segunda fase da operação Mata Atlântica Viva, entre os dias três e sete deste mês, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) identificou o desmatamento de 921,91 hectares do bioma no Vale do Jequitinhonha. Ao todo, foram fiscalizadas oito carvoarias, 74 propriedades e 109 polígonos. As áreas estão localizadas nos municípios de Medina, Águas Vermelhas, Jequitinhonha e Pedra Azul.

Segundo o Ministério Público, foram apreendidos durante a fiscalização 13.637,97 m³ de madeira e recolhidos cinco saruês, animal silvestre também conhecido como gambá-brasileiro. Para cobrar a reparação dos danos e outras medidas compensatórias, foram lavrados 44 autos de infração ambiental e aplicados cerca de R$ 7,6 milhões em multas.

Os resultados foram divulgados nessa quarta-feira (12/12), com números do relatório produzido pelo Núcleo de Combate aos Crimes Ambientais do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Nucrim/Caoma). O documento será encaminhado às Promotorias de Justiça das comarcas nas quais foram identificados os danos ambientais.

Além de integrantes do MPMG, a força-tarefa da operação Mata Atlântica Viva é composta por servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), do Ibama, da Polícia Militar de Meio Ambiente e do Comando de Aviação do Estado.

Bioma ameaçado

A proteção da Mata Atlântica é essencial para a sobrevivência de inúmeras espécies. Composto por formações florestais nativas e ecossistemas associados, o bioma, que já ocupou mais de 1,3 milhão de km², limita-se atualmente, segundo a Fundação SOS Mata Atlântica, a cerca de 12% de sua cobertura original.

Estima-se que a Mata Atlântica abrigue cerca de 20 mil espécies vegetais, aproximadamente 35% das existentes no país. Em relação à fauna, são cerca de 850 espécies de aves, 370 de anfíbios, 200 de répteis, 270 de mamíferos e 350 de peixes.

Foto: MPMG / divulgação


Postar comentário