Ministro explica cancelamento da Semana Climática da ONU em Salvador

Evento discute temas ligados ao aumento de ambição climática dos países
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Política Ambiental
Publicado em: 15/05/2019

O cancelamento da Semana Climática da Organização das Nações Unidas, que seria realizada em Salvador, foi anunciado nessa segunda-feira (13). Entretanto, a explicação veio somente nesta quarta-feira, ao G1.

Divulgação/Ricardo Salles
Divulgação/Ricardo Salles

O ministro Ricardo Salles, chefe do meio ambiente do governo de Jair Bolsonaro, explicou o cancelamento da seguinte maneira: “Vou manter um encontro que vai preparar um outro, que não vai acontecer mais no Brasil, por quê? Não faz o menor sentido, vai para o Chile! Vou fazer uma reunião para a turma ter oportunidade de fazer turismo em Salvador? Comer acarajé?”.

A Semana Climática tem o propósito de “inspirar indivíduos e organizações para fazer parte do impulso criado pelo acordo climático global em Paris”. Anualmente acontecem essas semanas em cada continente, em países que não sediarão a Conferência do Clima.

Em 2019, as Semanas Climáticas discutem temas ligados ao aumento de ambição climática dos países, atendendo ao chamado do secretário-geral da ONU para a reunião de cúpula em setembro.

Segundo o Observatório do Clima, o evento em Salvador foi cancelado porque Salles “temia protestos de ambientalistas contra sua gestão durante o encontro”.

André Fraga, Secretário de Cidade Sustentável e Inovação de Salvador, me manifestou sobre as falas do ministro: “Ele (Salles) falou uma besteira, na minha visão, porque: o que move a economia de Salvador? O turismo. Ele tava discutindo agora potencializar o ecoturismo, bacana, Salvador tem parque, praia, ilhas”.

Fraga também comentou o cancelamento do evento em si: “A gente perde em duas coisas: primeiro porque a gente perde a grande oportunidade de liderar a agenda climática (…) Segundo porque, enquanto cidade, a gente perde a oportunidade de mostrar o que estamos fazendo. Salvador está fazendo muita coisa".

Fonte: InfoClima


Postar comentário