Pontos de ônibus captam energia solar

Iniciativa integra política de sustentabilidade e meio ambiente do setor de transportes de SP
Sustentabilidade
Publicado em: 16/11/2018

Desde o início de outubro, usuários de ônibus da Região Metropolitana de Campinas, em São Paulo, observam a existência de placas de captação de energia solar em pontos de parada do sistema de transporte público.

A iniciativa faz parte da política de sustentabilidade e meio ambiente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU/SP). Até agora, 14 paradas já receberam as placas de captação, de um total de 20 pontos que estarão concluídos até o fim deste ano, nos municípios de Americana e Santa Bárbara D’Oeste.

Conectadas com a rede da companhia elétrica, as placas de captação de energia solar geram para o estado um crédito em energia que pode ser usado nas próprias paradas e também em outros equipamentos metropolitanos. Com custo estimado de R$ 6,7 mil por ponto de parada, o investimento tem expectativa de ser recuperado em até três anos.

A superintendente de Engenharia da EMTU/SP, Maria Tereza Fernandes de Campos, destaca que, para os usuários, a segurança noturna é um dos pontos fortes, já que o sistema é de alta confiabilidade. “Temos que explorar mais a energia gerada pelo sol abundante no Brasil. O pioneirismo da empresa é uma contribuição importante à sociedade”, afirma.

Como funciona

Os estudos para a implantação dessa nova tecnologia começaram há três anos e os primeiros testes ocorreram no primeiro semestre de 2018. O engenheiro eletricista da EMTU/SP, Carlos Alberto Pinto Coelho, explica que o sistema é semelhante ao usado em residências.

“Hoje, produzimos mais energia do que consumimos e isso de forma gratuita. As placas captam e transformam a energia solar em eletricidade. Após a conversão em energia elétrica, ela é encaminhada para a concessionária da região.”

As medições de geração são feitas e acompanhadas diariamente. Na sequência, é reenviada de volta à EMTU/SP e todos os créditos excedentes podem ser usados tanto nas paradas de ônibus como em outros equipamentos da empresa.

Para o diretor-presidente da EMTU/SP, Theodoro de Almeida Pupo Junior, o meio ambiente exige atenção e inovações que possam diversificar a matriz energética brasileira, bastante dependente da geração de energia por hidrelétricas. “As previsões sobre a energia e a incidência de chuvas são preocupantes. O estado está fazendo o seu papel ao inovar e trazer soluções de sustentabilidade.”

Fonte: Agência São Paulo


Postar comentário