Hortas escolares mudam hábitos e incentivam consumo sustentável

Projeto desenvolvido por escola municipal muda rotina de estudantes, de cantineiras e ainda valoriza a alimentação saudável
Educação Ambiental
Publicado em: 14/01/2019

Desenvolvido na Escola Municipal Rui da Costa Val, região Norte de Belo Horizonte, o projeto Educação Ambiental e a Construção de Práticas Ecológicas e Sustentáveis a Partir do Desenvolvimento de Horta Escolar estimula novas práticas educativas, além de incluir os espaços não usados da escola em atividades pedagógicas. A iniciativa integra uma série de atividades desenvolvidas e o conjunto de ações rendeu à escola o “Selo BH Sustentável” no ano de 2017.

São 12 canteiros que produzem alimentos como tomate, cebolinha, alface, pimentas, pimentão e cenoura, entre outras verduras e legumes. A parceria com o projeto EcoEscola BH garante ainda a doação de diversas mudas. A variedade é um dos motes para suscitar debates, como, por exemplo, hábitos alimentares saudáveis.

O projeto, que possibilitou a redução em 90% do desperdício dos alimentos da merenda escolar, conta com a participação de alunos com idades entre 6 e 14 anos. A proposta é ampla e inclui a criação de uma cultura de desenvolvimento sustentável com foco na economia e preservação da água, bem como na redução do consumo de energia elétrica, na conscientização sobre a necessidade de descartar de forma adequada lixo e resíduos e de preservação do Córrego Tamboril, que fica próximo à unidade de ensino.

Aprendizagem estimulante

Para Guilherme José Justino, de 13 anos, aluno do Programa Escola Integrada, o resultado é positivo e a aprendizagem, estimulante. “Aprendemos mais sobre o meio ambiente, cultivo, colheita e também sobre a importância dos vegetais. Minha alimentação na escola é mais saudável, todo almoço do Programa Escola Integrada tem salada. Participamos de uma excursão ao parque ambiental de Venda Nova, onde aprendemos sobre diversos tipos de plantas e trouxemos vários tipos de mudas de jardim , que replantamos na escola”, relata.

As atividades envolvem toda a comunidade escolar, uma vez que as crianças acompanham também parte do processo de preparo do alimento. Para a cantineira Ivanilde Fernandes Honorato, uma contribuição importante do projeto foi a mudança de comportamento dos alunos.

“Por meio do projeto, os alunos aprenderam também como funciona a organização do espaço onde é servida a merenda. Agora eles têm acesso à cantina, ajudam no preparo dos alimentos e ainda aprenderam a reduzir o desperdício”, ressalta. Ela conta que muitos querem levar mudas de hortaliças para casa, e assim, iniciarem uma horta em seus quintais.

Fonte: PBH


Postar comentário