Frescatto Company realiza mutirão na Praia de Copacabana para limpeza de microlixos

Ação faz parte de um projeto interno chamado “O Mar tá pra peixe, não pra plástico”
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 07/06/2019

Ao completar 75 anos de mercado a Frescatto Company, empresa do setor de pescados, se mostra cada vez mais engajada em buscar soluções que gerem impacto positivo para o meio ambiente e tragam mais eficiência para o negócio. A marca tem como compromisso diário oferecer pescados respeitando a natureza e seus recursos.

Domínio público
Domínio público

Neste sábado (8), colaboradores se mobilizarão para limpeza de microlixos na praia de Copacabana em um projeto interno chamado “O Mar tá pra peixe, não pra plástico”. As pessoas que estiverem na praia e quiserem participar serão bem-vindas.

Foi através de boas práticas sustentáveis que alcançaram resultados positivos nos últimos anos. Desde 2016, 100% da energia consumida pelo processo industrial é proveniente de recursos renováveis. A água, o bem mais precioso do planeta e habitat natural dos peixes, é captada, utilizada e reutilizada com consciência, gerando economia de mais de 13,5 milhões de litros em três anos. E os resíduos de pescados são reaproveitados integralmente na fabricação de subprodutos para o mercado pet, evitando o envio de 3,6 milhões de quilos de resíduos de pescado para aterros sanitários, em três anos. A última conquista da empresa foi a implementação de uma horta orgânica, na matriz em Duque de Caxias – RJ, para consumo dos colaboradores.

Uso de energia 100% renovável:

O aquecimento global é, atualmente, a maior preocupação ambiental debatida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Entendendo que esse fenômeno é especialmente danoso aos oceanos, peixes e frutos do mar, a Frescatto estabeleceu metas ousadas de diminuição das suas emissões de Gases de Efeito Estufa – GEE, contribuindo para a preservação do meio aquático, de onde vem significativa parcela da alimentação mundial.

Em outubro de 2016, motivada por seus valores de preservação ambiental, a Frescatto passou a adquirir energia elétrica no Mercado Livre (MLE). A aquisição desse modelo de matriz energética já evitou a emissão de 641,02 toneladas de CO2(eq) na atmosfera. O que equivale ao plantio de 4.487 árvores em um projeto de reflorestamento de 30 anos. Essa decisão faz parte de um projeto a longo prazo, que visa zerar a pegada de carbono, ou seja, evitar ou neutralizar 100% da emissão de Gases de Efeito Estufa - GEE gerados pela companhia na manutenção de sua indústria, administrativo e no transporte de seus pescados.

Além de uma economia de 2 milhões de reais em energia elétrica desde 2016, a empresa conquistou o “Selo de Uso de Energia Renovável – 2017 2018 2019” emitido pela Comerrc-Sinerconsult, através do consumo voluntário de energia elétrica proveniente de fontes renováveis ou incentivadas, como por exemplo: Eólica, Solar, Proveniente de Biomassa e de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). O intuito da Frescatto Company era reduzir as emissões de gases Geradores do Efeito Estufa (GEE) mas, com a migração, teve também um retorno financeiro de impacto.

Ainda em 2019, os prédios administrativos da matriz também terão a instalação de placas solares no que será um dos maiores sistemas de Geração Distribuída do estado do Rio de Janeiro. Com a implantação dessa unidade de geração solar, a Frescatto terá atingida uma de suas metas que é abastecer 100% do consumo de energia elétrica da matriz com energia renovável, contribuindo para a diminuição do aquecimento global.

Reuso da água

A Frescatto tem especial respeito no trato com os recursos hídricos ao captar, utilizar, reutilizar e devolver ao meio ambiente esse importante recurso. Além de implantar diversas ações que visavam diminuir o consumo de água, usando com consciência esse recurso, em 2016, a Frescatto implantou um sistema de reuso de água que já reaproveitou 13,5 milhões de litros de água, volume suficiente para encher 5,4 piscinas olímpicas.

A Frescatto inovou o tratamento de seus efluentes com o desenvolvimento de uma tecnologia própria de tratamento de efluentes de pescado. Com essa ação, a empresa devolve ao meio ambiente a água utilizada no processo produtivo de pescado com uma redução superior a 99% da carga orgânica.

Solução para resíduos de pescados

Diariamente, cerca cinco mil quilos de resíduos de pescado são gerados no parque industrial da empresa, em Duque de Caxias (RJ). Para se ter uma ideia, cerca de 50% a 60% da matéria prima (peixe) pode se tornar resíduo, dependendo do pescado e do corte para o qual será destinado, como por exemplo: filés de peixe. Por ano, são gerados aproximadamente 1,2 milhão de quilos, que até 2016 tinham um destino pouco produtivo, o lixo.

Foi a partir deste ano que a Frescatto firmou parceria com uma empresa especializada em transformar esses resíduos em óleo e farinha de peixe, subprodutos utilizados no mercado de alimentação para animais. Atualmente, 100% dos resíduos de pescado produzidos no parque industrial se transformam em subprodutos do mercado pet. Além de contribuir para a geração de emprego e renda, transformando resíduos em matéria prima para uma nova cadeia produtiva, essa ação da Frescatto contribuiu para evitar a geração de Gases de Efeito Estufa – GEE que seriam gerados pela decomposição desse material em aterros sanitários.

Fonte: Canal Comunicação


Postar comentário