Ecofuturo e Suzano anunciam implantação de bibliotecas comunitárias nas cidades de Poté e Ladainha, em Minas Gerais

Unidades devem ser inauguradas até o fim de 2019 e integram as iniciativas do projeto Nascentes do Mucuri
Da Redação / Ecológico - redacao@souecologico.com
Educação Ambiental
Publicado em: 29/04/2019

O Instituto Ecofuturo e a empresa Suzano, sua mantenedora, anunciam a implantação de duas novas bibliotecas comunitárias no estado de Minas Gerais, nas cidades de de Poté e Ladainha. As reuniões de articulação com as prefeituras dos municípios foram realizadas nesta semana e os espaços devem ser inaugurados até o fim deste ano. As unidades integram o projeto Nascentes do Mucuri, idealizado pela Suzano e desenvolvido por diversos parceiros, que promove a restauração das nascentes do rio e o desenvolvimento local.

Ação em Ladainha (Foto: Divulgação/Instituto Ecofuturo)
Ação em Ladainha (Foto: Divulgação/Instituto Ecofuturo)

Cada biblioteca receberá um acervo de 1.000 livros de literatura, sendo que 70% serão selecionados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ), enquanto 30% atenderão demandas da comunidade. Além disso, os espaços serão mobiliados com móveis e equipamentos eletrônicos, como televisores, computadores e impressoras, além de software de gestão de biblioteca.

As unidades são financiadas pela Suzano, enquanto as prefeituras serão responsáveis por ceder o espaço e mantê-lo após a inauguração, além de contratar dois funcionários que atuarão em cada biblioteca. À comunidade, são oferecidos cursos de Auxiliar de Biblioteca, Promotor de Leitura e uma oficina de Educação Ambiental, que totalizam 72 horas de formação, com 30 vagas em cada município.

O prefeito de Poté, Nêgo Sampaio, reiterou a importância da educação para a transformação da sociedade. “Entendemos que a educação é o caminho para o progresso do país e a implantação da Biblioteca Comunitária contribuirá muito nesse sentido, ajudando a promover a leitura no município”, comenta. A Secretária Municipal de Educação, Solange Cambui Colen, complementa: “Em parceria com o Instituto Ecofuturo, nós visamos ampliar e melhorar o acervo que já existe na biblioteca pública, e assim potencializar o acesso ao conhecimento”.

“Nosso município possui um dos menores Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do estado de Minas Gerais. A Biblioteca Comunitária, que atenderá a comunidade de Brejaúba e a mais cerca de dez outras do entorno, irá contribuir para alterarmos positivamente essa situação. É um grande ganho para a cidade”, afirma Walid Nedir Oliveira, prefeito de Ladainha.

Além das unidades recém-anunciadas, ainda em Minas Gerais, o Instituto irá inaugurar, em 5 de julho, uma Biblioteca Comunitária no município de Malacacheta, que também integra o projeto Nascentes do Mucuri. A inauguração contará com uma cerimônia aberta à comunidade e com participação do poder público, na Escola Municipal Eva Ribeiro Mendes, onde o espaço está implantado.

Formando leitores e empoderando cidadãos

Ação em Poté (Foto: Divulgação/Instituto Ecofuturo)
Ação em Poté (Foto: Divulgação/Instituto Ecofuturo)

Criado em 1999, o projeto Biblioteca Comunitária Ecofuturo tem como objetivo incentivar a promoção da leitura desde a primeira infância como ferramenta para a formação de cidadãos mais conscientes e críticos. O projeto também visa contribuir com a lei 12.244/10, que prevê a implantação de bibliotecas em todas as escolas do país até 2020. São 113 bibliotecas implantadas em 12 Estados, com média de 6 mil atendimentos por ano em cada unidade e mais de 4 mil pessoas formadas nos cursos oferecidos pelo Instituto.

Segundo estudo divulgado pelo Ecofuturo no ano passado, as Bibliotecas Comunitárias da rede colaboram com o aumento do rendimento escolar nos municípios em que estão presentes. A pesquisa, desenvolvida pela consultoria METAS Sociais, comprova melhora de 7,8% no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Ensino Fundamental II. O estudo ainda aponta uma elevação de 4,2% na taxa de aprovação dos alunos do Ensino Fundamental II, e de 3,4% no Ensino Fundamental I.

“Os resultados alcançados pelo projeto Biblioteca Comunitária Ecofuturo nos mostram que, mais do que promover a leitura e fomentar o conhecimento, a iniciativa proporciona também a transformação da paisagem cultural, social e ambiental da comunidade que a recebe. Com isso, oportunizamos vivências que abrem caminhos para novas perspectivas e novos sonhos”, afirma Paulo Groke, diretor superintendente do Ecofuturo.


Postar comentário