Dia Nacional do Diabetes: Dieta low carb ajuda no tratamento da doença

Confira os benefícios da prática alimentar
Bruno Frade- bruno@souecologico.com
Saúde
Publicado em: 26/06/2019

Hoje é celebrado o Dia Nacional do Diabetes, data instituída pelo Ministério da Saúde em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a doença que vem crescendo expressivamente no Brasil. De acordo com a Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada em 2017 pelo Ministério da Saúde, o número de pessoas diagnosticadas com diabetes aumentou 61,8% entre 2006 e 2016.

O tratamento não deve se resumir à utilização de medicamentos; a mudança simples de hábitos, como prática de atividade física e alimentação saudável, também são importantes no combate à doença. No que se refere à alimentação, merece destaque, segundo a Associação Brasileira LowCarb (ABLC), a prática alimentar low carb, que prioriza a ingestão de comida de verdade (alimentos naturais) e a restrição do consumo de açúcar e carboidratos refinados.

A low carb aparece como uma ótima solução para o combate e tratamento do diabetes, justamente porque a doença tem como característica a elevação dos níveis de açúcar no sangue, seja tipo 1, em que o corpo é incapaz de produzir insulina, ou tipo 2, em que há resistência à insulina. O médico, diretor-presidente da ABLC, José Carlos Souto, explica que em todas as doenças em que o organismo humano é incapaz de metabolizar ou tolerar, total ou parcial, o tratamento consiste em remover essa substância.

De acordo com o médico endocrinologista e também diretor científico de Medicina da ABLC, Rodrigo Bomeny, a low carb é vista como mais eficaz no tratamento do diabetes tipo 2, porque o consumo de carboidratos refinados está intimamente associado ao surgimento dessa doença. Para Bomeny, é costume dizer que as pessoas com este tipo de doença não precisam modificar a alimentação, devendo seguir apenas as orientações de uma alimentação saudável para a população geral. “Mas não é tão simples simular esse ajuste de insulina tão minucioso feito pelo pâncreas.

Para exemplificar como a prática low carb pode ser benéfica no tratamento do tipo 1, o diretor-presidente da ABLC cita estudo recém-publicado pela revista científica Pediatrics. A análise mostra que pacientes (crianças e adultos) que seguiram essa estratégia alimentar durante dois anos, em média, tomando medicamentos em doses menores do que as exigidas em uma dieta normal, apresentaram glicose no sangue em níveis mais controlados.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Tratamento do diabetes tipo 2

O diabetes tipo 2 diferencia pela resistência das células à insulina. Como forma de vencer essa barreira, o organismo produz mais hormônio, o que gera um ciclo: quanto mais insulina mais resistente ao hormônio às células se tornam. Como efeito, o açúcar se acumula no sangue, causando uma intolerância à glicose.

Nesse sentido, a solução não passa apenas pela ingestão de insulina, embora em algumas situações ela possa ser necessária, mas pela diminuição da ingestão da substância mal tolerada, a glicose. O médico José Carlos Souto, explica que todo carboidrato é digerido no organismo em glicose, sendo natural a melhora no quadro de diabetes tipo 2 com a low carb. Além disso, a prática alimentar produz redução espontânea do apetite e perda de peso, tratando condições que vêm atreladas à doença. “É muito comum que o diabetes ou o pré-diabetes sejam acompanhados de obesidade, sobrepeso ou aumento da gordura visceral”, diz.

A eficácia da prática alimentar low carb no tratamento também é apoiado por diversas evidências científicas, tal como estudo feito pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e publicado em dezembro de 2017 no jornal científico Nutrition & Diabetes. Outro estudo recente comprovando foi realizado pela Universidade de Ohio, e divulgado no Journal of Clinical Investigation Insight.

Os benefícios comprovados por diversos estudos clínicos fizeram com que a Associação Americana do Diabetes recomendasse a prática alimentar como alternativa dietética válida para o tratamento do diabetes tipo 2. Entre as vantagens estão: perda de peso, redução da pressão arterial, aumento do HDL, o chamado colesterol bom, e redução dos triglicerídeos.


Postar comentário