Como melhorar a sua saúde? Confira os benefícios do selênio!

Bruno Frade - bruno@souecologico.com
Saúde
Publicado em: 29/04/2019

Você tem a impressão que as horas estão passando cada vez mais rápido e que a ausência de tempo para alimentar corretamente impacta na sua saúde? Sente fraqueza muscular e fadiga no seu dia-a-dia? Esses sintomas são bastante comuns para falta de selênio no organismo.

Mas calma! Vamos compartilhar algumas dicas para melhorar a sua disposição e encarar a maratona diária.

O selênio é um micronutriente que possui papel importantíssimo em todo o nosso corpo. Tem efeito antioxidante: ajuda a prevenir doenças, neutralizar o envelhecimento celular e melhorar o sistema imunológico! Ao mesmo tempo, desempenha um papel importante no metabolismo do fígado e tireoide, e auxilia na manutenção dos músculos dos ossos e coração.

Castanha-do-Pará. Foto: Domínio Público
Castanha-do-Pará. Foto: Domínio Público

Onde encontrar selênio nos alimentos?

Os mais ricos são: peixes, frutos do mar, carne, ovos, leguminosas, grãos integrais e nozes. É importante reforçar que a quantidade do micronutriente em cada um vai depender do solo em que foram cultivados, o mesmo serve para os de origem animal, de acordo com alimentação fornecida.

E qual é o top 1 quem tem alta concentração de selênio? É a castanha-do-pará! Apenas uma porção é o suficiente para fornecer a dose diária. Além disso, a castanha possui vitamina E que auxilia positivamente na ação antioxidante junto com o selênio.

Os perigos da deficiência de selênio

A ausência do mineral podem resultar em alterações nos batimentos do coração, menor resistência a infecções, fraqueza muscular, anemia, entre outas doenças.

Estudo desenvolvido pela da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, comprovou que a ingestão diária de duas castanhas aumenta em cerca de 65% a quantidade de selênio no sangue, mas alertou sobre os problemas de intoxicação quando consumido em excesso como queda de cabelo, fadiga, fraqueza das unhas, lesões na pele e problemas gastrointestinais. Já no Brasil, a USP também comprovou efeitos benéficos, nesse caso, contra o mal de Alzheimer.

Aqui no Brasil é estabelecida uma dose limite de 400 mcg por dia que incluiu os consumos: alimentos, água ou suplementos alimentares.


Postar comentário