Cinco opções de plantas para ornamentar seu lar

Com poucos cuidados, é possível ter uma casa mais bonita e aconchegante

Da Redação / Ecológico – redacao@revistaecologico.com.br
Qualidade de vida
Publicado em: 11/02/2019

Uma boa opção para renovar uma casa ou um apartamento, sejam eles grandes ou muito pequenos, são as plantas. Para quem é da opinião de que isso requer habilidades de jardinagem ou é muito trabalhoso, a dica é escolher espécies que demandem poucos cuidados.

Para deixar os espaços mais bonitos e aconchegantes, não faltam opções. Basta escolher a mais adequada ao seu gosto e habilidades. Confira cinco sugestões:

Dracena:

Que tal manter dentro de casa o “tronco da felicidade”? É assim que também é conhecida a dracena ou dragoeiro. É uma planta resistente a variações do clima, inclusive é indicada para ajudar a absorver a umidade no ar, onde isso for um problema, e mantê-lo mais purificado.

É uma planta resistente e pode permanecer ao seu lado por bons anos. Mas vale um aviso importante, são tóxicas para animais domésticos, daí nada de levá-las para dentro de casa se você tem, por exemplo, um cão ou gato como animal de estimação.

Como são rústicas, podem ser regadas uma ou duas vezes por semana. Adubos orgânicos e equilibrados são bem-vindos.

Orquídea:

É, sem sobra de dúvidas, a queridinha para a ornamentação dos cômodos de uma casa. Há inúmeras espécies, das mais diferentes cores, mas os cuidados não variam tanto entre elas. Quanto à iluminação, a dica é manter a orquídea à meia-sombra, em espaços onde poderá receber iluminação indireta.

Elas costumam demandar duas ou três regas por semana. Vale conferir se o substrato está seco antes de colocar mais água. A floração está atrelada à forma como a planta se adaptou ao ambiente. Por isso, se as flores se tornarem raras, vale a pena escolher outro cantinho para ela.

Samambaia:

Nos ambientes em que falta um toque de verde, as samambaias são uma boa pedida. Costumam crescer e preencher de forma bastante chamativa os locais onde estão presentes. Elas preferem a iluminação indireta e o vento não faz bem às suas folhas.

Como pode crescer muito, você terá de removê-la para um vaso maior. Se ela se mantiver de forma saudável ao longo dos meses, esse procedimento se repetirá a cada dois ou três anos. A rega, não podemos nos esquecer dela, deve ser frequente, pelo menos duas vezes por semana – de maneira a manter o substrato úmido, mas não encharcado.

Suculenta:

Está aí uma alternativa para quem tem ambientes menores e acolhedores: a suculenta. É uma opção bem prática, pois em ambientes iluminados, ela cresce com facilidade.

Mesmo gostando do sol, algumas espécies se adaptam muito bem a locais onde a luz indireta prevalece. Se ela perder muitas folhas, é sinal que precisa de mais luminosidade.

A suculenta não demanda regas constantes. Uma ou duas vezes por semana é o suficiente. A dica é molhar o substrato sem encharcar as folhas.

Violeta-africana:

Se você gosta de companhias em casa, as violetas-africanas são uma boa pedida. A verdade é que elas não pertencem ao gênero das verdadeiras violetas, mas, pela aparência e pela origem, acabaram recebendo a denominação de violetas-africanas.

São de pequeno porte, podem crescer em potes de 10 a 12 cm de diâmetro sem problema. Claro que se preferir dar a elas mais espaço, ninguém vai reclamar.

É uma espécie que gosta de ambientes iluminados, mas é indicado evitar a luz direta do sol, pois ela poderia amarelar suas folhas e matar a planta. Porém, nada de penumbra. Sem luminosidade adequada, elas não florescem.

Quanto à rega, a forma indicada é manter o solo úmido e não molhar as folhas com água fria. Uma dica é colocá-las em um recipiente baixo com água para umedecer o substrato. Uma frequência indicada para irrigação, a depender do ambiente em que a planta está e do clima, seria um dia sim e dois não.