Caçadores ilegais são condenados a pagar R$ 30 mil para reparar danos ambientais

Segundo investigação, grupo abatia animais silvestres da fauna
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 17/07/2019

Um grupo de sete pessoas foi condenado a pagar R$ 30 mil para reparar danos ambientais causados em Boa Esperança, no Sul de Minas Gerais. A decisão, que se deu nessa terça-feira (16), é da 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais - TJMG.

Segundo os desembargadores do processo, as provas evidenciam que o grupo teve participação na caça e abatimento de espécies da fauna silvestre, como jacarés. De acordo com o Ministério Público (MP), entre 2009 e 2010, após se associarem a uma quadrilha armada, as sete pessoas caçaram e mataram espécies ilegalmente.

Jacaré foi uma das espécies caçadas ilegalmente (Divulgação/Tribunal de Justiça de Minas Gerais)
Jacaré foi uma das espécies caçadas ilegalmente (Divulgação/Tribunal de Justiça de Minas Gerais)

Ainda conforme o texto, durante o mandado de busca e apreensão, foram encontrados objetos de caça, incluindo armas de fogo e munição. Além do abatimento de jacarés, foram encontrados fotos de pássaros e peixes mortos.

Para o relator do processo, juiz convocado José Eustáquio Lucas Pereira, "não parece crível, tampouco razoável, assim, diante do contexto claramente expresso nas imagens, cogitar que os réus se deixaram fotografar com animais mortos, mas em nenhuma medida participaram da provocação dos danos ambientais, sobretudo quando, em várias delas, os requeridos aparecem segurando redes de pesca e répteis mortos às margens de rios e apontando armas para aves em pleno voo, o que revela, de forma até cristalina, a conduta ilegal e danosa".

O valor da indenização deverá ser revertido ao Fundo Estadual de Direitos Difusos - FUNDIF.


Postar comentário