Assembleia de Minas anuncia instalação de CPI das barragens

Outra comissão também será criada no Senado para apurar as causas da tragédia de Brumadinho

Da Redação / Ecológico – redacao@revistaecologico.com.br
Tragédia da Vale
Publicado em: 13/03/2019

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) anunciou a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre as barragens de rejeitos. O grupo tem como meta a apuração dos fatos relativos ao rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão, da mineradora Vale, em Brumadinho.

A comissão inicia os trabalhos nesta quarta-feira (13). Ela será presidida pelo deputado Gustavo Valadares (PSDB). A vice-presidência ficará a cargo de Inácio Franco (PV) e a relatoria será assumida pelo deputado André Quintão (PT).

A CPI possui poderes de investigação próprios das autoridades judiciais e terá prazo de 120 dias para apuração dos fatos, prorrogável por mais 60.

Foto: Isac Nobrega/PR
Foto: Isac Nobrega/PR

Em Brasília

O Senado também instala hoje uma CPI para apurar as causas da tragédia em Brumadinho. O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, informou que foi tentado um diálogo com a Câmara para constituir uma comissão mista.

“Em reunião de líderes, antes do Carnaval, ficou decidido que até 11 de março o Senado aguardaria a indicação dos blocos partidários”, afirmou Alcolumbre ao ler o requerimento de instalação da CPI. Como não houve entendimento, a opção foi criar uma comissão formada exclusivamente por senadores.

No Senado, o prazo para apuração das causas do rompimento da barragem da mineradora Vale será de 180 dias.

Além dos danos ambientais, a tragédia, ocorrida em 25 de janeiro, na mina da Vale, fez mais de 300 vítimas. O levantamento mais recente da Defesa Civil estadual confirma 197 mortes e 111 desaparecidos na área atingida pela lama.


Postar comentário


Comentários

  • Marcos Frederico

    Marcos Frederico 7 days ago

    E será que isso não vai terminar em pizza?