Abertas inscrições para curso de agroecologia em Belo Horizonte

Aulas focam em técnicas de manejo e questões conceituais
Da Redação / Ecológico - redacao@revistaecologico.com.br
Educação Ambiental
Publicado em: 01/04/2019

Terminam no próximo domingo (07) as inscrições para o "Curso de Agroecologia" da Prefeitura de Belo Horizonte. São oferecidas 55 vagas para quem mora na capital mineira.

A gerente do Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável do Mercado Popular da Lagoinha, Gladys Andrade, explica que a proposta é “oferecer conhecimentos técnicos básicos, suficientes para apoiar qualquer cidadão que queira produzir alimentos saudáveis e sem agrotóxicos.”

Ao todo, o curso possui 13 módulos (confira abaixo) e os encontros ocorrem às quintas-feiras, das 8h às 12h30. Para se inscrever os interessados devem preencher o formulário online no portal da Prefeitura.

Curso é realizado com base em metodologias participativas - Foto: Edar/Pixabay
Curso é realizado com base em metodologias participativas - Foto: Edar/Pixabay

Módulos

1. Introdução a Agroecologia

2. Manejo Agroecológico de Agroecossistemas I – equilíbiro do sistema

3. Manejo Agroecológico de Agroecossistemas II – fertilidade do sistema

4. Compostagem, Minhocário e Biofertilizantes (Prática)

5. Manejo Agroecológico de Pragas e Doenças (Prática)

6. Plantas Alimentares Não Convencionais (PANCs)

7. Hortas Urbanas e Jardinagem produtiva

8. Plantas Medicinais e Agroecologia I

9. Manejo Agroecológico das Águas

10. Sistemas Agroflorestais

11. Agrobiodiversidade e Sementes

12. Gestão de Resíduos e Agroecologia

13. Avaliação Final

Saiba mais:

O curso de agroecologia faz parte do programa “Valorizar a Gastronomia Mineira e Belo-horizontina articulada às Bases Agroecológicas”. Nele são ofertados ainda cursos de panificação, gastronomia mineira e belo-horizontina e confeitaria.

Apenas as aulas de agroecologia são abertas ao público em geral. As outras opções de curso, segundo a PBH, são destinadas a pessoas em situação de vulnerabilidade social, encaminhadas pelos Centros de Referência de Assistência Social, Centro de Referência LGBT e escolas municipais.


Postar comentário