A caminho da sexta extinção em massa?

Diagnóstico ambiental avalia impacto da ação humana sobre a natureza
Da Redação / Sou Ecológico - redacao@souecologico.com
Biodiversidade
Publicado em: 30/04/2019

Cientistas e diplomatas de 132 países seguem reunidos na capital francesa, na sede da Unesco, para adotar a primeira avaliação global dos ecossistemas em 15 anos. O documento servirá de base para a reunião sobre o clima que será realizada na China ano que vem.

Especialistas dos Estados membros da Convenção das Nações Unidas sobre Diversidade Biológica trabalharam durante três anos para produzir o relatório, que tem 1.800 páginas e se tornará uma referência científica sobre biodiversidade, assim como os textos da Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC).

O diagnóstico traz dados alarmantes. Quase nenhuma das 20 metas previamente estabelecidas para 2020, que visam uma melhor harmonia com a natureza até 2050, será alcançada, destaca o texto. “O patrimônio ambiental global está sendo alterado a um nível sem precedentes.”

A aceleração acentuada de espécies animais e vegetais extintas é uma delas. Segundo o relatório, 25% das 100 mil espécies avaliadas estão em risco de extinção. As principais ameaças são o avanço da agricultura, pesca e caça ilegais e os efeitos das mudanças climáticas. A estimativa é que entre 500.000 e 1 milhão devem estar em risco nas próximas décadas.

"As provas são inegáveis: nossa destruição da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas alcançaram níveis que ameaçam nosso bem-estar tanto quanto as mudanças climáticas induzidos pelo homem", afirmou Robert Watson, presidente da Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (IPBES).

Desmatamento está entre as maiores ameaças à biodiversidade - Foto: Pixabay
Desmatamento está entre as maiores ameaças à biodiversidade - Foto: Pixabay

O texto, cujo conteúdo final será alinhado pelos delegados antes de ser oficialmente publicado no próximo dia 06 de maio, faz uma conexão clara entre aquecimento global e a destruição da natureza, identificando algumas causas semelhantes, em particular práticas agrícolas e desmatamento, responsáveis por cerca de um quarto das emissões de gás carbônico, bem como danos diretos aos ecossistemas.

"Este relatório fundamental lembrará que as gerações de hoje têm a responsabilidade de legar às gerações futuras um planeta que não seja irreparavelmente danificado pelas atividades humanas", disse Audrey Azoulay, diretora-geral da Unesco.


Postar comentário