Blog do Hiram

Blog do Hiram
Edição 122 - Publicado em: 14/02/2020

O maestro e o primeiro violino

Dois meses depois da cerimônia de entrega do Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza´2019, realizada com pompa e elegância na beleza da Sala Minas Gerais, José Israel Vargas e Octávio Elísio Alves de Brito – os dois vencedores na categoria “Ambientalista Histórico” – se encontraram de maneira simples e afetiva.

Promovido pela Revista Ecológico, o encontro se deu em BH, na intimidade do apartamento do primeiro homenageado, ex-secretário de Ciência e Tecnologia no Governo Aureliano Chaves e embaixador do Brasil na Unesco. Aos 92 anos de idade e com a saúde fragilizada, ele não pôde comparecer à premiação.

O segundo homenageado, que lhe entregou o merecido troféu, foi seu fiel escudeiro, ex-secretário de Educação no Governo Tancredo Neves e deputado constituinte com a bandeira da defesa do meio ambiente. Ambos, mestre e discípulo, criadores do Copam, atual Conselho Estadual de Política Ambiental, que inspirou a criação do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente).

Durante a troca de amabilidades, Octávio Elísio lembrou, com gratidão, que José Israel sempre foi o seu “maestro”. Ao que o professor respondeu, com requinte: “Se fui o seu maestro, você foi e continua sendo o meu primeiro violino”.

Foi assim, em fina sintonia, que eles ‘orquestraram’ a defesa da natureza e do desenvolvimento sustentável. “Se a ciência e a tecnologia foram as grandes responsáveis pela atual degradação ambiental do planeta, por falta de consciência ecológica na época, somente por meio delas será possível recuperá-lo. E assim, garantir a sobrevivência também do gênero humano”, salientou Vargas.

O encontro terminou com um tradicional lanche à mineira: “pão de queijo e café produzido no município de Machado”. E recordações sem fim.

A verdade do teflon

Você ainda usa panelas e frigideiras de teflon na sua cozinha? Então assista ao filme “O Preço da Verdade”, do original “Dark Waters”, já em cartaz nos cinemas. Baseado numa história real, o conhecido ator Mark Ruffalo (foto) vive um advogado de defesa que confronta a empresa química DuPont para expor um horrível segredo de poluição ambiental. O filme mostra também, com esperança, o que o ativismo e o direito ambiental são capazes de fazer pela nossa salvação ecológica. Que nem tudo, enfim, está perdido. A verdade é como azeite, sempre fica à tona d’água.

Divulgação - Paris Filmes
Divulgação - Paris Filmes

Convocação empresarial

“Quando a gente divide os nossos sonhos com Deus, eles se realizam mesmo. E eu só tenho a agradecer.” Foi o que confessou o mineiro Leonardo Bortoletto, fundador do Clube de Permuta, ao receber a visita do vice-governador Paulo Brant, em mais um “Segredo do Chef”, no Espaço Meet, em BH. No evento concorrido, que reuniu o mundo empresarial e político para debater as perspectivas econômicas de Minas e do país em 2020, Bortoletto lembrou que, inicialmente, o clube foi criado para estimular trocas entre os empresários, incluindo desde produtos e serviços até bolos e carros de luxo.

Isso foi em 2012, com apenas 12 empresários que acreditaram no negócio. Atualmente, o clube está presente em 21 cidades, de oito estados brasileiros, mais o Distrito Federal, com 1.392 associados e um faturamento recorde de R$ 6 milhões. A surpresa maior foi revelada no final. Ele convocou os empresários presentes a saírem de suas zonas de conforto e se posicionarem politicamente nas eleições deste ano. “Não adianta ficarmos só vendo tudo acontecer, omissos e sem participar da cena política, e depois reclamar do que legislaram para nós.”


Postar comentário