Aos mestres, com carinho

Melhor conteúdo de educação ambiental do país, o projeto “Ecológico nas Escolas” é adotado pela Vale como material de pesquisa escolar para todos os professores da rede de Ensino Fundamental de Nova Lima, na Grande BH

Educação Ambiental
Edição 113 - Publicado em: 23/11/2018

Doravante, nas luas cheias, que é quando circulam as edições impressas da Revista Ecológico, todos os 600 professores e pedagogos de Nova Lima passarão a receber a publicação em seus locais de trabalho, de forma personalizada. E também terão acesso gratuito aos seus conteúdos digitais.

Além de despertar e fortalecer o sentimento de valorização e pertencimento, o objetivo maior e multiplicativo dessa iniciativa é auxiliar os educadores no dia a dia escolar, junto aos seus alunos nas salas de aula. Ou seja, para que eles cumpram a missão de democratizar a informação ambiental, engajando os alunos na causa hoje planetária, suprapartidária e necessária da preservação ambiental, através do desenvolvimento sustentável.

O anúncio desta parceria entre a Revista Ecológico e a Prefeitura de Nova Lima, por meio das secretarias municipais de Educação e Meio Ambiente, foi feito pela Vale, patrocinadora da iniciativa educacional. E festejado, não à toa, no seu Centro de Proteção e Educação Ambiental (CPEA), na Mata do Jambreiro.

O espaço é visitado por mais de 15 mil pessoas/ano em meio à maior área verde restante, na forma de Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), de toda a Região Metropolitana de BH. Um pedaço de natureza protegida de 912 hectares, equivalente a quase mil campos oficiais de futebol de Mata Atlântica e florestas de transição para o Cerrado preservados pela empresa.

Carinhos recíprocos

Vários professores e autoridades municipais, ambientalistas e funcionários da Vale prestigiram a solenidade simples. Sérgio Leite, gerente executivo de Sustentabilidade Sul-Sudeste da empresa, lembrou que a área total da mata ainda de pé atrás da Serra do Curral é de 1.326 hectares. “Só este milagre natural justifica toda e qualquer iniciativa educacional semelhante”, ele afirmou, dentro da máxima pregada pelo ambientalista Hugo Werneck, a quem a Revista Ecológico impressa é dedicada in memoriam: “Nós somente amamos e defendemos aquilo que conhecemos, é belo e nos encanta”.

O jornalista Hiram Firmino e a diretora de gestão do Grupo Ecológico, Eloah Rodrigues, mostraram porque o projeto “Ecológico nas Escolas” já é adotado hoje em todas as 3.600 escolas públicas de ensino fundamental de Minas. Segundo pesquisa de opinião realizada junto à Secretaria de Estado de Educação, “100% dos professores ouvidos afirmaram utilizar não apenas as páginas sobre educação ambiental da Ecológico; mas toda a revista como fonte de leitura, pesquisa e trabalho escolar”.

O prefeito Vitor Penido observou que, graças ao advento da informação ambiental, a postura hoje das empresas e administrações públicas mudou radicalmente: “Antes nós íamos todos para a Lista Suja da Amda. Hoje não, pelo contrário. Graças à cobrança das ONGs ambientalistas, da imprensa verde e o apoio de empresas parceiras como a Vale que, somada à AngloGold Ashanti, detêm 67% da divisão territorial do município, Nova Lima é quem tem hoje mais áreas verdes e nascentes de água protegidas de toda a Região Metropolitana. Isso se chama qualidade e esperança de vida”.

A secretária municipal de Educação, Viviane Matos, pautou a Revista Ecológico para conhecer e divulgar o projeto local de hortas escolares: “Será um ganho podermos mostrar aos nossos municípios vizinhos que elas são possíveis”.

Já o secretário municipal de Meio Ambiente, Danilo Vieira, lembrou o significado do tempo e do amor: “Tempo é o tempo que já perdemos, de tudo que não fizemos, por falta de consciência ecológica, e foi degradado na natureza do planeta. Este tempo não volta mais, nem podemos ficar lamentando. E amor - Hugo Werneck tinha e continua tendo razão - é a única e grande arma capaz de mudar o destino comum da humanidade. É o que estamos praticando e celebrando nesta parceria”.

E concluiu, com a mesma esperança de sua colega Viviane: “Como também sempre nos lembra outro mestre e companheiro nosso, o ex-ministro José Carlos Carvalho, os otimistas, e eu acrescento os idealistas, não têm tempo de serem pessimistas”.