Memórias Hídricas

Para homenagear esse grande companheiro de luta ambiental, a Ecológico reproduz algumas das imagens
Ensaio Fotográfico
Edição 106 - Publicado em: 18/04/2018

Este ano completam-se 10 anos da morte do jornalista e advogado Mário Viegas. Fundador da Sociedade Ornitológica Mineira (SOM), uma das primeiras ONGs ambientais do Brasil, foi ele quem evitou, junto com os companheiros ambientalistas Hugo Werneck e Célio Valle, que o Parque Estadual do Rio Doce fosse cortado ao meio por uma estrada industrial na década de 1990.

Mário era conhecido por seu gênio difícil, mas ao mesmo tempo amoroso. Editor do antigo “Jornal do Meio Ambiente”, também foi redator de “A Última Hora”, no Rio de Janeiro, e diretor da sucursal mineira da “Tribuna da Imprensa”. Sua paixão pelo meio ambiente era tão grande que criou o concurso “Fotografe a Natureza”, um dos mais concorridos de Minas Gerais e do país.

No momento de selecionar as fotos finalistas com os jurados (a Revista Ecológico também integrava a Comissão Julgadora), Mário sempre ia às lágrimas. Ficava tocado pela beleza dos animais, principalmente dos passarinhos, e das paisagens registradas pelos participantes, fossem eles profissionais ou amadores. À época da morte do jornalista, em novembro de 2008, o banco de imagens da SOM tinha mais de 20 mil fotos extasiantes sobre a biodiversidade brasileira. Algumas delas foram publicadas anteriormente na extinta revista JB Ecológico com autorização de Viegas (após a realização dos concursos, a SOM também passava a ter direito de uso e publicação das fotos).

Para homenagear esse grande companheiro de luta ambiental, a Ecológico reproduz, a seguir, algumas das imagens, vencedoras ou não, que concorreram nos concursos fotográficos da SOM e também encantaram Mário Viegas.

Confira:


Postar comentário