Em prol dos mananciais

O 8º Fórum Mundial da Água também trouxe mais uma boa notícia para Minas Gerais. O Governo do Estado, por meio da Copasa, firmou parceria com a Fundação Banco do Brasil para a continuidade das ações do Programa Pró-Mananciais, responsável por mobilizar as comunidades e parceiros estratégicos locais - reunidos no Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia)
Encarte Especial FIEMG
Edição 106 - Publicado em: 18/04/2018

O 8º Fórum Mundial da Água também trouxe mais uma boa notícia para Minas Gerais. O Governo do Estado, por meio da Copasa, firmou parceria com a Fundação Banco do Brasil para a continuidade das ações do Programa Pró-Mananciais, responsável por mobilizar as comunidades e parceiros estratégicos locais - reunidos no Coletivo Local de Meio Ambiente (Colmeia). O objetivo é proteger e conservar nascentes e mananciais usados para o abastecimento da rede pública.

Entre as principais atividades desenvolvidas pelo Pró-Mananciais - que se espelha no Programa Cultivando Água Boa, de Itaipu - estão o cercamento de nascentes, o plantio de mudas nativas em mata ciliar e a implantação de bacias de contenção de enxurradas. O Colmeia participa de maneira colaborativa das etapas de diagnóstico, planejamento, construção e acompanhamento do plano de ações na microbacia escolhida.

Serão investidos R$ 8,5 milhões nas próximas ações do programa, que inclui ainda a abertura e a adequação de estradas, e a implementação de tecnologias sociais, como fossas sépticas biodigestoras e cisternas para captação de água da chuva.

Desenvolvido pela Copasa, o Pró-Mananciais teve início em 2017, envolvendo 58 cidades mineiras, com ações de proteção e recuperação das águas, desde as nascentes até o ponto de captação.

“Com esse termo de cooperação, serão beneficiadas comunidades em microbacias que asseguram o abastecimento humano de várias cidades mineiras. A meta é beneficiar 149 municípios de diferentes regiões, incluindo cidades da Grande Belo Horizonte, como Sabará, Matozinhos e São José da Lapa”, detalhou João Bosco Senra, chefe da Assessoria Técnica da presidência da Copasa.

A Fundação Banco do Brasil, lembrou Senra, tem grande expertise na área de tecnologias sociais e permitirá que as próprias comunidades escolham aquelas que serão adotadas para a recuperação dessas microbacias. “Com esse apoio e maior engajamento popular, certamente ganharemos agilidade na implantação das ações. A intenção é abranger, nos próximos anos, todos os 636 municípios em que a Copasa atua.”


Postar comentário