“A água é única”

Intensificar o compartilhamento de experiências e a cooperação mútua com o Brasil para avançar na oferta de soluções e melhoria da ecoeficiência hídrica. Esse é um dos focos da atuação do Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley.
Matéria de Capa
Edição 106 - Publicado em: 18/04/2018

Intensificar o compartilhamento de experiências e a cooperação mútua com o Brasil para avançar na oferta de soluções e melhoria da ecoeficiência hídrica. Esse é um dos focos da atuação do Embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley.

Durante um painel sobre escassez de água na agricultura, coordenado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Shelley deu atenção especial ao compartilhamento de iniciativas em prol do acesso à água de qualidade.

Bem-humorado e falando em português, ele lembrou que as práticas na agricultura são dinâmicas e estão mudando constantemente, mas que tecnologias desenvolvidas no passado também são relevantes para a adaptação às mudanças climáticas hoje.

“A seca forçou Israel a maximizar sua produção agrícola por unidade de terra, ou seja, a produzir mais com menos. Atualmente, 80% da água consumida no país vem do mar, é dessalinizada. Os 20% restantes vêm dos rios, das chuvas e fontes subterrâneas. Cada estado tem a sua própria gestão. Felizmente, não precisamos mais fazer a ‘dança’ da chuva nas escolas”, brincou.

O embaixador apresentou as principais mudanças tecnológicas ocorridas naquele país nos últimos 60 anos. Entre elas, sistemas de irrigação que asseguram aumento da eficiência no uso da água em mais de 90%.

Respostas na Bíblia

Em conversa com a Ecológico, ao fim do painel, Shelley disse gostar muito de Minas Gerais, onde já esteve em quatro ocasiões, desde que assumiu seu posto em Brasília, há pouco mais de um ano.

“Ainda este mês, estarei em Uberlândia. Vou tratar de questões ligadas à água na agricultura, etc.” Num debate em que muito se falou sobre tecnologias, ele – que é bacharel em Direito e Engenharia Civil – foi o único a refletir sobre a relação do ser humano com a água sob uma perspectiva mais holística, independentemente das crenças religiosas individuais.

“Em 2004, enfrentamos uma severa crise hídrica e o governo passou a empreender esforços para dessalinização da água do mar. Pensamos, pensamos e recorremos à Bíblia que, acredito, tem respostas para tudo. Está lá, na primeira página: “E Deus criou um grande mar...”. Seria apenas para crescer peixes? Penso que não, a água dessalinizada assegura nossa sobrevivência. Também é preciso educar as pessoas para o consumo consciente. Não há um elemento alternativo à água, ela é única.”


Postar comentário