Indústria sustentável

Empenhada em tornar a indústria mineira ainda mais competitiva, Fiemg chega aos 85 anos comprometida com a busca do equilíbrio entre as três dimensões da sustentabilidade: econômica, social e ambiental. Conheça, a seguir, alguns de seus projetos e iniciativas

Encarte Especial FIEMG
Edição 105 - Publicado em: 22/03/2018

Em 2017, a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), baseada nos resultados do Sistema Integrado de Bolsa de Resíduos e do “Programa Mineiro de Simbiose Industrial (PMSI)”, lançou o “Programa de Economia Circular em Distritos Industriais”.

A iniciativa propõe planos de negócios coletivos para as indústrias de um distrito industrial e sua área de influência, criando um ambiente sustentável de trocas de recursos. Em Sete Lagoas, onde foi implantado o projeto-piloto, 19 indústrias participam do programa, com 25 ações de economia circular em execução e 10 planos de negócios coletivos identificados.

Já o site do Sistema Integrado recebeu, até agora, mais de 660 mil acessos. São mais de 1.830 empresas participantes, que têm a oportunidade de negociação, em tempo real, de diversos tipos de resíduos, agregando valor a eles e evitando custos com a sua destinação final.

Por meio do PMSI, foi possível reutilizar 13.650.000 m3 de água; economizar 195 toneladas de matérias-primas, através do reúso de resíduos; evitou-se, ainda, que 140 toneladas de resíduos fossem para aterros sanitários. Os custos operacionais tiveram redução de R$ 8 milhões.

Mobilização para produção e consumo sustentáveis

Trata-se da adoção de processos produtivos que considerem a finitude dos recursos e associem medidas de gestão para minimizar impactos ambientais. Nesse sentido, a Gerência de Meio Ambiente da Fiemg vem desenvolvendo programas como o “Banco de Boas Práticas Ambientais” e as cartilhas orientativas para gestão ambiental focada em setores industriais.

Também são promovidos eventos técnicos e capacitações para fortalecer a cultura de gestão ambiental no empresariado mineiro. Até o momento, foram elaborados seis Guias Técnicos Ambientais Setoriais, nove “Boas Práticas Ambientais” publicadas, nove Normas ISO e ABNT sobre sustentabilidade acompanhadas e oito semanas de Produção e Consumo Sustentáveis, totalizando a participação de 1.578 pessoas.

Minas pelas Águas

Criado para apoiar a indústria mineira na adoção de processos produtivos mais sustentáveis, o Programa “Minas pelas Águas” é um movimento da Gerência de Meio Ambiente da Fiemg, responsável pelas orientações sobre a legislação de recursos hídricos vigente e os principais instrumentos (como a cobrança pelo uso da água, a outorga, o cadastro de usuários, etc.) da Política Nacional de Recursos Hídricos. Representa o setor industrial no conselho de recursos hídricos e comitês de bacia do domínio do Estado e da União. Tem, ainda, forte atuação em ações de gestão do uso dos recursos hídricos.

O lançamento do “Pacto de Minas pelas Águas”, em 03 de março de 2015, teve a participação de mais de mil colaboradores da indústria em todas as regionais e sede. Por meio da campanha “Todos pela Água”, 30% do consumo hídrico nas unidades do Sistema FIEMG foi reduzido. Também foi oferecido apoio institucional para a obtenção de mais de 1.785 outorgas de direito de uso de recursos hídricos em todo o estado, além de contar com representação em 38 comitês de bacia hidrográfica e 34 câmaras técnicas.

Minas Sustentável

O programa estimula a adoção de soluções que proporcionem economia e, ao mesmo tempo, receita para as empresas. Tudo de uma forma responsável, por meio de uma nova filosofia de gestão, aliando processos produtivos baseados na otimização de resultados econômicos, ambientais e sociais.

Disponibiliza para as indústrias participantes um completo diagnóstico que avalia os impactos e as oportunidades de melhoria em cinco pilares principais: conservação de energia, reúso de água, redução e reciclagem de resíduos, responsabilidade social e emissões de carbono.

Reconhecido nacionalmente pelos seus bons resultados – foi o responsável pela Fiemg vencer o “Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade & Amor à Natureza” 2014, na categoria “Melhor Empresa”, e, em 2016, conquistou o 2º lugar no “Ranking de Tecnologias, Serviços e Produtos Sustentáveis – Sustentar 2016” – o programa já atendeu 9.228 empresas. Quatrocentos e dois municípios foram visitados. Quatrocentos e quarenta e seis licenças ambientais foram concedias por meio da parceria com o “Minas Sustentável”. E 1.961 indústrias foram orientadas para a ecoeficiência.

Sustentabilidade na Cadeia Produtiva

Para apoiar empresas-âncora de diversos setores no desenvolvimento de suas cadeias de fornecimento, o projeto oferece, desde 2013, diagnósticos, capacitações e consultorias que facilitam a implementação da gestão sustentável. Com isso, reduzem riscos, impactos e melhoram resultados financeiros, ambientais e sociais. Duzentas e quarenta indústrias foram atendidas, com a participação de quatro empresas-âncoras dos setores de mineração, automotivo e siderúrgico.

Seminário Internacional de Sustentabilidade

Realizado desde 2002, o evento promove debate sobre novos conhecimentos e experiências fundamentais para o avanço da gestão sustentável em Minas Gerais. Totaliza 2.811 participantes nas quatro edições, representantes de 324 indústrias de diversos portes e setores.

O que esperar do fórum

Maior evento internacional sobre o tema já realizado no Hemisfério Sul, o “Fórum Mundial da Água” é organizado a cada três anos pelo Conselho Mundial da Água, organização que reúne cerca de 400 instituições relacionadas à temática de recursos hídricos em aproximadamente 70 países.

O evento vai promover e ampliar ainda mais o diálogo do processo decisório sobre o tema em nível global, visando ao uso racional e sustentável desse recurso vital. Por sua abrangência política, técnica e institucional, uma de suas características principais é a participação aberta e democrática de um amplo conjunto de atores de diferentes setores, traduzindo-se em um evento de grande relevância na agenda internacional. Essa participação se dá, principalmente, por meio da plataforma online “Sua Voz”, espaço de consulta aberta para que pessoas de todo o mundo colaborem e influenciem os debates. Entre as principais sugestões enviadas pelos participantes estão o desenvolvimento de ações para a proteção de nascentes e o controle de poluição das águas.

A Revista Ecológico trará, em sua próxima edição, a cobertura jornalística e análise completa do Fórum Mundial da Água. Aguarde!