> Notícias

Produtor de Água no Pipiripau será destaque em Brasília


font_add font_delete printer
Para recuperar e proteger as reservas hídricas do Distrito Federal, cada 5 euros doados ao fórum serão convertidos em mudas de árvore, de arbusto ou de gramínea. É possível colaborar na hora de fazer a inscrição ou durante o evento, no estande do Produtor de Águas. Foto:

Para recuperar e proteger as reservas hídricas do Distrito Federal, cada 5 euros doados ao fórum serão convertidos em mudas de árvore, de arbusto ou de gramínea. É possível colaborar na hora de fazer a inscrição ou durante o evento, no estande do Produtor de Águas. Foto:

Livro sobre a história da iniciativa será lançado durante o Fórum Mundial da Água

14/03/2018

 

O trabalho de recuperação de mananciais, executado pelo programa ‘Produtor de Água no Pipiripau’, em parceria com agricultores da região, vai ganhar destaque no 8º Fórum Mundial da Água, que ocorre em Brasília (DF), de 18 a 23 de março.

Além da apresentação das ações, será lançado um livro que narra a história da iniciativa. Como parte do evento, também estão sendo arrecadadas doações para plantio de mudas nas margens do córrego.

Os congressistas poderão participar das mesas sobre o projeto, lideradas por parceiros como a Agência Nacional de Águas (ANA) e a Universidade de Brasília (UnB), explica José Bento da Rocha, superintendente de Planejamento e Programas Especiais da Agência Reguladora de Águas, Energia e Sanemanto Básico do DF (Adasa).

Também será lançado um livro, em inglês e português, que detalha a criação e desenvolvimento do programa, editado pela Adasa. “Cada capítulo foi escrito por um dos órgãos integrantes do projeto. Foram incluídos depoimentos de diversos produtores”, descreve Rocha. Gratuito, o livro terá parte da tiragem distribuída durante o fórum.

Para recuperar e proteger as reservas hídricas do Distrito Federal, cada 5 euros doados ao fórum serão convertidos em mudas de árvore, de arbusto ou de gramínea. É possível colaborar na hora de fazer a inscrição ou durante o evento, no estande do Produtor de Águas.

As sementes serão plantadas em tubetes durante o fórum e levadas para o Projeto Pede Planta, em que alunos de escolas particulares de Brasília cuidam de espécies vegetais em viveiros.

Lá, elas serão preparadas até que estejam prontas para o plantio, na temporada de chuvas, entre setembro e outubro de 2018.

Depois disso, serão levadas para propriedades rurais que participam do Produtor de Água. As áreas ainda não foram definidas. Os dados serão inseridos em uma plataforma on-line chamada Sistema de Informação de Restauração. Por meio dela, os doadores poderão acompanhar o sucesso dos plantios na restauração ecológica.

Segundo a Adasa, a estimativa é que até dois hectares sejam recuperados por meio da campanha.

Como funciona

Financiado pelo governo federal, o programa Produtor de Água é gerido pela Agência Nacional de Águas (ANA) desde 2001, com versão adaptada às características regionais. No caso do Pipiripau, 16 parceiros atuam sob coordenação da Adasa.

Os produtores rurais são voluntários e, depois de procurar o governo, se tornam responsáveis pela manutenção de benfeitorias, como plantio de mudas de árvores nativas, recuperação de estradas e terraceamento (técnica de conservação destinada ao controle de erosão hídrica, utilizada em terrenos muito inclinados).

Com área total de 23.527 hectares, a Bacia do Ribeirão Pipiripau localiza-se no nordeste do Distrito Federal, na divisa com o município de Formosa (GO). Nela se concentram diversas atividades de interesse da sociedade, tais como: produção de frutas, grãos, atividades de lazer, proteção ambiental e captação de água para abastecimento de 180 mil habitantes de Planaltina (DF).

 

Fonte: Agência Brasília


Compartilhe




Outras Notícias