> Notícias

Ministério do Meio Ambiente apoia reconhecimento do Peruaçu


font_add font_delete printer
O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, criado pela União em 1999, faz divisa com outras áreas protegidas, como a Reserva Indígena dos Xacriabás - Foto: Luiz Santana

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu, criado pela União em 1999, faz divisa com outras áreas protegidas, como a Reserva Indígena dos Xacriabás - Foto: Luiz Santana

08/06/2017

A campanha para o reconhecimento do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu como patrimônio da humanidade recebeu mais um importante apoio. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) ratificou, por meio de ofício, posição favorável à indicação da unidade de conservação, localizada no Norte de Minas, como candidata brasileira ao título concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

A informação foi confirmada pela coordenadora-regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Carolina Fonseca, em audiência pública realizada nesta quinta-feira, em Januária, pela Assembleia Legislativa de MG. O município é um dos três que abrigam os limites do parque. Os outros são Itacarambi e São João das Missões.

O ICMBio é o órgão governamental responsável pela gestão da unidade, que tem 140 cavernas catalogadas e mais de 80 sítios arqueológicos registrados, em uma área de 57 mil hectares. Pinturas rupestres de até 11 mil anos e a diversidade da fauna e da flora local atraem a atenção de pesquisadores e visitantes de todo o mundo.

O potencial turístico e científico do parque embasa uma campanha, lançada este ano, para o reconhecimento do Peruaçu pela Unesco, com o envolvimento de ambientalistas e do poder público. Segundo o coordenador da Sociedade Brasileira de Espeleologia, Leonardo Giunco, um dos entusiastas do movimento, a chance de a unidade ser congratulada com o selo de patrimônio mundial é real.

Disputa acirrada

O parque também tem a possibilidade de concorrer a um selo misto, de patrimônio cultural e natural, mais raro. No entanto, cada país só pode inscrever um candidato por ano e a concorrência está acirrada. Locais como a cidade de Paraty (RJ) e os Lençóis Maranhenses também estão no páreo.

Outro obstáculo, ressaltado por Carolina Fonseca, do ICMBio, é o complexo e caro dossiê técnico que precisa ser entregue à Unesco. Várias candidaturas não são aceitas por não elaborarem o documento nos padrões exigidos.

Parque ainda não está aberto

Deputados da ALMG destacaram a importância do selo de patrimônio mundial da Unesco para o desenvolvimento da região. “Esse reconhecimento traz o turismo internacional e a geração de emprego e renda para o Norte de Minas”, salientou Paulo Guedes (PT).

Eles também lembraram que a infraestrutura das cidades que abrigam o parque precisa acompanhar o aumento da demanda que o turismo traria. E ressaltaram a necessidade de envolver a população do Peruaçu, uma vez que a visitação ainda não está aberta ao público. Conforme informou Carolina Fonseca, com a finalização das obras de infraestrutura, que adequaram o parque para o turismo, a abertura oficial está programada para o próximo dia 27.

Fonte: Assembleia de Minas

 


Compartilhe




Outras Notícias