> Edições Anteriores > Minas Inundada? > Destinos Turísticos

Terça, 02 de fevereiro de 2010

A Rússia dos Czares

Suntuosidade de palácios e igrejas é um dos atrativos de São Petersburgo, também conhecida como a “Veneza do Norte”

Paulo Queiroga - pqueiroga@terra.com.br



font_add font_delete printer
Igreja do Salvador do Sangue Derramado - Foto: Pablo Pola Damonte/Flickr CC

Igreja do Salvador do Sangue Derramado - Foto: Pablo Pola Damonte/Flickr CC

A cidade russa de São Petersburgo, cuidadosamente desenhada no Golfo da Finlândia, era a região de fixação de tribos húngaras e finlandesas, que ocuparam o delta do Rio Neva e construíram o primeiro porto da Rússia. Séculos mais tarde, em 1703, a partir de Pedro, O Grande, passou a ser o símbolo da nova era da história nacional e personificação do orgulho e da glória do Estado.

Cidade Colosso

São Petersburgo, a cidade de Pedro, foi planejada sob inspiração europeia para se tornar a “Veneza do Norte”. Conhecida em toda a aristocracia dos séculos XVIII e XIX como o “Colosso Setentrional”, a construção da nova capital exigiu esforços monumentais e o sacrifício de milhares de vidas humanas. Harmoniza os largos espaços de terra firme com as sinuosas linhas do Rio Neva e dos canais. As construções não são edifícios isolados, mas verdadeiras paisagens artificiais.

Patrimônio urbano

Antiga Petrogrado, foi a capital imperial do país até a Revolução de 1917 que, na sequência, transferiu a capital para Moscou, em 1924 e seu nome mudado para Leningrado, em homenagem ao líder da revolução comunista, Lênin. Com a abertura política, econômica e a dissolução da União Soviética, em 1991, a cidade voltou a ser chamada de São Petersburgo. O governo investiu recursos milionários no turismo, na recuperação e preservação de seu patrimônio arquitetônico e urbano.

Conto de fadas

Passear por suas largas avenidas, ruas e canais, admirar a suntuosidade dos seus palácios e igrejas traz a sensação de estarmos em meio a um conto de fadas. Envoltos na história das riquezas das velhas monarquias europeias. Mas, se o turista tem em mente alugar um carro em São Petersburgo é melhor desistir. O trânsito é caótico e, a lógica dos motoristas, só entendida pelos moradores ou, talvez, nem mesmo por eles. Contrate um receptivo local. É mais barato, seguro e você aproveitará melhor a viagem.

Museu Hermitage

Uma visita ao Hermitage já vale o esforço de atravessar meio mundo rumo a São Petersburgo. O Hermitage, que significa lugar de recolhimento ou eremitério, é um conjunto de três imponentes edifícios, ricamente decorados, e que foram residência da aristocracia russa. Andar sem pressa pelo local reserva belíssimas surpresas, entre as pinturas de Rembrandt, Rafael, Ticiano e Leonardo da Vinci, além de um rico acervo de esculturas e objetos, desde o Egito Antigo, passando pela Roma dos Césares, percorrendo o renascimento e avançando pelo impressionismo de Van Gogh e o cubismo de Picasso, até peças de decoração e uso da aristocracia russa.

Crédito: Dennis Javis/Flickr CC

Fortaleza urbana

A Fortaleza de São Pedro e São Paulo é o local de fundação da cidade. Foi a primeira construção destinada a proteger São Petersburgo contra ataques na Guerra do Norte, contra os suecos. A edificação inclui uma catedral barroca onde estão os túmulos dos Romanov – dinastia que governou a Rússia Imperial de 1613 a 1917. No mesmo pátio da fortaleza se encontra, ainda em funcionamento, a primeira Casa da Moeda da Rússia.

Catedral de Santo Isaac

É a maior e mais rica da cidade. As colunas majestosas em blocos monolíticos exigiram trabalho hercúleo de seus construtores. Os painéis foram montados em rico mosaico, como a Santa Ceia, que pesa nove toneladas e levou 11 anos para ser construída. Já a Igreja do Salvador no Sangue derramado, ou Igreja da Ressurreição, foi construída no local onde o Czar Alexandre II foi assassinado, num atentado a bomba, em 1881. Tem seu interior todo revestido de mosaicos.

Programa especial

Os restaurantes de comidas exóticas são um programa especial. Além da comida típica russa, como o khinkali, massa cozida em formato de trouxinhas, recheadas com carne de carneiro, você se delicia com as famosas panquecas, preparadas com manteiga e ovas de salmão, e saladas de arenques crus. Outra gastronomia de grande influência em São Petersburgo é a do Azerbaijão, especialmente os pratos à base de nozes, alho, coentro, legumes e churrasco de cordeiro, muito apreciada pelos turistas e pela população local. Prove também o famoso caviar de esturjão à russa, com salada.

Bonecas e ovos

Suvenires são, principalmente, as peças em âmbar (resina dos pinheiros, resquícios da idade da pedra) peles, as famosas bonecas Matrioskas e os ovos de Fabergé, ricamente pintados e incrustados com motivos art nouveau e rococó. Os arredores de São Petersburgo também são um precioso colar de riquezas arquitetônicas e da suntuosa decoração imperial. O Palácio de Catarina, em Tsarskoe Selo (aldeia do Czar), nas vizinhanças da cidade, era o lugar predileto de descanso de Catarina II, que imprimiu todo seu talento, riqueza e bom gosto.

São Pertersburgo - Crédito: Rubén Pérez Eugercios/Flickr CC

QUEM LEVA:

O roteiro São Petersburgo é operado pela Tchayka Operadora. Em Belo Horizonte, sua representante é a Turisplan.

Telefone: (31) 3227-8785.

E-mail: turisplan@terra.com.br

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição