Segunda, 14 de maio de 2018

Mineração em xeque



font_add font_delete printer
Vista geral da mineração Embrapa/Biogold do dorso teste da Serra do Curral: conflito retomado.

Vista geral da mineração Embrapa/Biogold do dorso teste da Serra do Curral: conflito retomado.

Após denúncia feita pelo médico e cidadão Arthur Nicolato, que mora no bairro  Taquaril, próximo à vertente leste da Serra do Curral, cartão-postal da capital mineira,  o conflito mineração versus preservação ambiental voltou à tona. Técnicos do Instituto Estadual de Florestas (IEF), do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e vereadores  de BH, acompanhados de ambientalistas, estiveram novamente na Mina Corumi, da Empresa de Mineração Pau Branco (Empabra/Biogold). O objetivo da visita é apurar  se a discutida continuidade da operação extrativa naquela delicada região estaria ameaçando os limites de proteção natural dos parques Estadual da Baleia e Municipal das Mangabeiras, incluindo o Pico de BH. Uma audiência pública será marcada em maio, na Câmara Municipal, onde a empresa, que nega qualquer irregularidade, dará esclarecimentos sobre o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que lhe permite a extração e a comercialização de 1,5 milhão de toneladas de minério de ferro por ano. Ou seja, concomitantemente à recuperação da paisagem natural das áreas já exploradas. Para o cidadão comum, o que se vê de várias partes da capital, ao contrário de reabilitação ecológica, é o avanço do  desmonte mineral rumo ao que ainda resta da serra original.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição