> Edições Anteriores > Esperança em vitro > Responsabilidade Social

Terça, 00 de 06 de 0000

Por um mundo sem descarte

Maior fabricante de bebidas do planeta, a Coca-Cola assume compromisso de zerar em 100%, até o ano 2.030, toda a poluição causada pelo descarte de suas embalagens não recicladas na natureza



font_add font_delete printer
Coletivo reciclagem: através das cooperativas, inserção, emprego, renda e ambiente digno aos catadores; todos ganham com a causa planetária

Coletivo reciclagem: através das cooperativas, inserção, emprego, renda e ambiente digno aos catadores; todos ganham com a causa planetária

Nem tudo está perdido no mundo da reciclagem. A The Coca-Cola Company anunciou, neste início de ano, sua nova política de embalagens, com um objetivo ambicioso: ajudar a recolher o equivalente a 100% das embalagens que coloca no mercado, até 2030. O compromisso é o mesmo para todos os países onde atua. Aqui no Brasil, a empresa vai chegar ao fim de cinco anos (2016-2020) com investimento de R$1,6 bilhão para garantir a entrega desse objetivo, com ações em três frentes: design, coleta e parceria.

Atualmente, a Coca-Cola Brasil já garante a destinação correta para 51% das embalagens produzidas e trabalha para chegar a 66% até 2020. Em 2016, esse percentual era de 36%. Esse avanço se deu graças ao aumento de participação de embalagens retornáveis, uso de resina reciclada para a confecção de novas garrafas (Bottle to Bottle) e apoio a mais de 200 cooperativas de reciclagem em todo o país. 

“Os números mostram que temos trabalhado de forma consistente, o que nos dá confiança e estímulo para alcançarmos, aqui no Brasil, o objetivo de termos 100% das nossas embalagens destinadas corretamente em 2030. Temos que fazer isso porque é o certo e é o que as pessoas esperam de uma empresa líder como a nossa.” afirma o presidente da Coca-Cola Brasil, Henrique Braun.

Como parte da visão de crescimento consciente, a empresa está investindo em infraestrutura, entre ampliação de linhas de retornáveis, equipamentos de fábrica, compra de vasilhames e engajamento do consumidor, e também em cooperativas de reciclagem. Do total de R$ 1,6 bilhão previsto entre 2016 e 2020, $ 1,2 bilhão representa o investimento de hoje até 2020. 

Entre as iniciativas da empresa, as ações de reúso de embalagens estão voltadas para o objetivo de dobrar, em cinco anos (2016-2020), a participação de retornáveis no portfólio, chegando a 30%. Na frente de redesenho, atualmente, as garrafas de plástico têm cerca de 20% menos peso do que as produzidas há 10 anos. E, desde 2008, a Coca-Cola Brasil investe continuamente na capacitação de cooperativas de reciclagem e em iniciativas de inclusão dos catadores.

A estratégia de embalagens sustentáveis no Brasil conta com uma visão completa da cadeia produtiva. Na lógica da chamada economia circular, nenhum componente de um produto deve ser encarado como resíduo. As embalagens são desenvolvidas considerando todo seu ciclo de vida e são 100% reaproveitáveis, ou seja, podem e devem voltar ao ciclo industrial.

 

Fique por dentro

O Sistema Coca-Cola Brasil é o maior produtor de bebidas não alcoólicas do país e atua em nove segmentos — água, café, chás, refrigerantes, néctares, sucos, lácteos, bebidas esportivas e à base de proteína vegetal — com uma linha de mais de 152 produtos, entre sabores regulares e versões zero ou de baixa caloria. Composto por nove grupos parceiros de fabricantes, o Sistema emprega diretamente 62,6 mil funcionários, gerando cerca de 600 mil empregos indiretos. Em 2017, foram investidos R$ 3,2 bilhões, 10% acima da média dos últimos cinco anos. O Sistema Coca-Cola Brasil está empenhado em incentivar iniciativas que melhorem o desenvolvimento econômico e social das comunidades em que opera. Para isso, conta com uma plataforma de valor compartilhado, o Coletivo Coca-Cola, que já impactou a vida de mais de 175 mil pessoas por meio de toda a cadeia de valor

da empresa.

 

As três frentes de atuação para “O Mundo sem Resíduos”

1- Design

A Coca-Cola diz buscar, continuamente, a redução da quantidade de insumos utilizados. De 2008 a 2016, reduziu, em média, a gramatura das embalagens PET em 20%. A Coca-Cola Brasil aumentou também o uso de matéria-prima reciclada nas embalagens produzidas.

Mais de 60% da composição de novas latas de alumínio e de garrafas de vidro é proveniente de embalagens recicladas. Juntas, representam 31% do volume de material colocado no mercado, anualmente. E 35% das embalagens PET também já são compostas por resina reciclada.

2- Reúso

Hoje, cerca de 20% do seu portfólio é composto por embalagens retornáveis (RefPET e vidro). Esse formato oferece ao consumidor uma opção mais acessível e sustentável, uma vez que cada garrafa é reutilizada até 25 vezes, e não gera resíduos ao final de seu ciclo de uso.

3- Reciclagem e parceria 

Desde 2008, a empresa investe em cooperativas de catadores de materiais recicláveis, tanto em infraestrutura quanto em metodologia e gestão, em linha com o que prevê o “Acordo Setorial de Embalagens”, assinado em 2015.

Em 2017, a Coca-Cola Brasil anunciou sua nova plataforma em reciclagem, o “Reciclar pelo Brasil”. Em parceria com seu principal concorrente, passou a coinvestir de forma mais eficiente e gerando um aumento de até 25% nos aportes recebidos por elas.

Coordenado pela Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (ANCAT), o programa “Reciclar pelo Brasil” impacta, inicialmente, 110 cooperativas e 5 mil famílias. Ao todo, a empresa apoia 200 cooperativas. A meta é ampliar essa aliança já em 2018, com outras indústrias parceiras.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição