Domingo, 09 de julho de 2017

Golfinhos e botos

Qual a diferença entre golfinhos e botos? Um vive em água salgada e o outro em água doce? Depende. A verdade é que não existem características anatômicas e fisiológicas que diferem golfinhos de botos e, sim, nomenclaturas regionais típicas de um país de grandes dimensões territoriais, como o Brasil. Confira!

redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Animais muito inteligentes e ótimos nadadores, os golfinhos são mamíferos aquáticos da ordem Cetacea, a mesma das baleias. Foto: Domínio Público

Animais muito inteligentes e ótimos nadadores, os golfinhos são mamíferos aquáticos da ordem Cetacea, a mesma das baleias. Foto: Domínio Público

Mesma espécie, nomes diferentes

O Flipper, personagem famoso da série de TV norte-americana, pertence à espécie golfinho-nariz-de-garrafa (Tursiops truncatus). Quando encontrado em águas costeiras de Santa Catarina ao Rio Grande do Sul é chamado de boto. Mas, de Santa Catarina ao Nordeste brasileiro, ele vive em águas mais afastadas, por isso é conhecido como golfinho. Outra espécie, a “baleia-assassina” do filme Free Willy, na verdade, é um golfinho. Isso mesmo! A orca (Orcinus orca) é a maior entre essas espécies.

 

Ecolocalização

Os golfinhos utilizam o sentido da ecolocalização para obter informações de outros animais e do ambiente. Eles produzem sons de alta frequência (na faixa de 150 kHz), a partir do ar inspirado. Assim, atingem o objeto e voltam na forma de eco. Essa habilidade os permite identificar a distância, o formato, a movimentação, a densidade e a textura da presa.

 

Modo de vida

No geral, vivem de 25 a 30 anos e dão à luz a um filhote por estação reprodutiva, que dura de 10 a 11 meses. Habitam áreas mais próximas à superfície da água e caçam geralmente em grandes grupos, alimentando-se principalmente de lulas e peixes.

 

Inteligentes, acrobatas e sociáveis

Animais muito inteligentes e ótimos nadadores, eles são mamíferos aquáticos da ordem Cetacea (mesma das baleias). Presentes em todos os oceanos e em algumas águas de rios, podem atingir velocidade de até 40 km/h em seu nado e saltar cinco metros acima da água, pois são acrobatas. São animais sociáveis, que vivem em grupos, podendo interagir com outras espécies, como os humanos.

 

Boto-vermelho ou boto cor-de-rosa

O golfinho fluvial, conhecido como boto, boto-vermelho ou boto-cor-de-rosa, é o maior golfinho de água doce. Costumam-se concentrar-se na bacia de rios e abaixo de correntezas, tendo populações já identificadas na Bacia do Orinoco, na Bacia do Amazonas e na zona superior do Rio Madeira, todas na América do Sul. Movimentos em direção a florestas inundadas, lagos e canais ocorrem durante a estação das enchentes. Nadam lentamente e raramente saltam. A cor do corpo varia com a idade, limpidez da água, temperatura e localização. Em águas frias, a cor rosada pode desaparecer.

 

Características

Possuem de 45 a 55 pares de dentes e são da subordem Odontocetes. O tamanho das espécies varia de 1,5 m a 10 m. E o peso, entre 50 kg e 7.000 kg. Costumam ter testa achatada e uma estrutura longa e fina, parecendo um bico, mas o formato da cabeça muda entre as espécies. Respiram por pulmões e quando dormem apenas um hemisfério cerebral descansa. O outro continua ativo para não se afogarem e cuidarem da respiração.

 

Fonte:
Laboratório de Biologia da Conservação de Mamíferos Aquáticos (LABCMA/IOUSP) 
Livro “Mamíferos do Brasil”/UEL
National Geographic

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição