Terça, 19 de julho de 2016

Muhammad Ali: a ecologia da vitória

O mais importante lutador da história do boxe disse não à guerra e venceu o preconceito. Sua luta extrapolou os ringues e fez dele um ícone do movimento negro

Luciano Lopes - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Muhammad: “Não divido o mundo entre os homens modestos e os arrogantes. Divido o mundo entre os homens que mentem e os que dizem a verdade” - Imagem: Ira Rosenberg

Muhammad: “Não divido o mundo entre os homens modestos e os arrogantes. Divido o mundo entre os homens que mentem e os que dizem a verdade” - Imagem: Ira Rosenberg

Um lutador inesquecível. O melhor de todos, definitivamente. Sua presença no ringue era tão forte que o nocaute era um detalhe. Para quem pregava que “campeões não são feitos em academias”, desenvolveu uma técnica construída com muito suor e dedicação. E que se tornou quase uma religião no esporte.

Muhammad Ali encarou 62 lutas, foi ao chão em cinco, mas permaneceu 57 delas em pé, com o cinturão de campeão nas mãos. O grande vencedor era negro – e isso era fantástico, principalmente naquela época, em que a sociedade era tão opressora. Junto com Martin Luther King, Ali contribuiu para o avanço dos direitos civis da comunidade negra em todo o mundo. Foi um homem que peitava o impossível. E que o venceu a maior parte do tempo.

Nascido em Louisville, Kentucky (EUA), em 17 de janeiro de 1942, Cassius Marcellus Clay Jr. teve seu primeiro contato com o boxe depois que o técnico Joe Martin o viu na rua batendo em um ladrão que roubou sua bicicleta. Ele tinha apenas 12 anos. Sua determinação nos treinos era tão grande que, aos 18, venceu os Jogos Olímpicos em Roma, Itália.

Aos 23, foi convocado pelo Exército norte-americano para a Guerra do Vietnã. Islamita, recusou-se a ir para o conflito por ser contra suas crenças religiosas. “Não vou viajar 10 mil milhas para ajudar a matar outras pessoas pobres”, disse ele a uma autoridade militar que veio prendê-lo. E emendou: “Eu não tenho problema algum com os vietnamitas... Eles nunca me chamaram de crioulo”.

Pela recusa, foi preso, e a Comissão Atlética de Nova York suspendeu sua licença do boxe e revogou seu cinturão. Foi sentenciado a cinco anos de prisão e pagamento de US$ 10 mil, mas depois permaneceu livre enquanto a condenação foi apelada. Suspenso do esporte, visitou vários centros universitários para se manifestar contra a guerra. Com o crescente apoio a Ali, a Suprema Corte reintegrou sua licença e anulou, em decisão unânime, sua condenação.

Casado e pai de nove filhos, o pugilista anunciou sua aposentadoria em 1981, após conquistar sua 57ª vitória nos ringues. Diagnosticado com Mal de Parkinson em 1984, passou a se dedicar a causas humanitárias: chegou a se encontrar com Saddam Hussein no início da década de 1990, para negociar a libertação de reféns americanos, e visitou o Afeganistão em 2002 como Mensageiro da Paz da ONU.

Muhammad Ali faleceu aos 74 anos, de complicações do Parkinson, dois dias antes da data comemorativa ao Dia Mundial do Meio Ambiente – 05 de junho. Em sua homenagem, a Revista Ecológico revisita seu legado filosófico e humano. Confira suas mensagens mais célebres:

Impossível

“O impossível é apenas uma grande palavra usada por gente fraca, que prefere viver no mundo como ele está, em vez de usar o poder que tem para mudá-lo, melhorá-lo. Impossível não é um fato.

É uma opinião. Impossível não é uma declaração. É um desafio. Impossível é hipotético. Impossível é temporário. O impossível não existe.”

Treinos

“Eu odiava cada minuto dos treinos, mas dizia para mim mesmo: Não desista! Sofra agora e viva o resto de sua vida como um campeão.”

Visão de mundo

“Aquele que vê o mundo aos 50 anos da mesma forma que o via aos 20 desperdiçou 30 anos de sua vida.”

Força de vontade

“A força de vontade deve ser mais forte do que a habilidade.”

Coragem

“Aquele que não tem coragem de assumir riscos não alcançará nada na vida.”

“Voe como uma borboleta, mas ferroe como uma abelha”, aconselhava Muhammad Ali

Deus

“Deus não coloca um peso nos ombros de um homem se souber que ele não pode carregá-lo.”

Amizade

“É a coisa mais difícil do mundo de se explicar. Não é uma coisa que se aprende na escola. Mas, se você não aprendeu o significado da amizade, na verdade você não aprendeu nada na vida.”

Derrota

“Somente um homem que sabe o que sente ao ser derrotado pode ir até o fundo de sua alma e tirar dali aquilo que lhe resta de energia para vencer um combate equilibrado.”

Homens

“Não divido o mundo entre os homens modestos e os arrogantes. Divido o mundo entre os homens que mentem e os que dizem a verdade.”

Silêncio

“O silêncio vale ouro quando não se consegue achar uma boa resposta.”

Boxe

“O boxe é um monte de brancos vendo como um negro vence outro negro.”

“Não há prazeres em uma luta. Mas algumas das minhas lutas me trouxeram um prazer de vencer.”

“É apenas um trabalho. A grama cresce, os pássaros voam, as ondas acabam na areia. Eu bato nas pessoas.”

Campeões

“Campeões não são feitos em academias. Campeões são feitos de algo que eles têm profundamente dentro de si - um desejo, um sonho, uma visão.”

Fraternidade

“Servir aos outros é o custo que você paga para a sua estadia na Terra.”

“Quanto mais ajudamos os outros, mais ajudamos a nós mesmos."

Certo e errado

“Quando você está certo, ninguém se lembra. Mas quando você está errado, aí ninguém se esquece.”

Conselho

“Suas mãos não podem atingir o que os seus olhos não podem ver.”

Modéstia

“Eu sou tão rápido que ontem à noite eu desliguei as luzes do meu quarto e estava na cama antes de ficar escuro.”

“Eu não tenho medo de morrer. Eu tenho fé. Eu faço tudo o que posso para viver bem minha vida; e eu acredito que morrer vai me aproximar de Deus.”

Prisão

[Em resposta a um policial que foi prendê-lo em 1965 por ter se recusado a lutar pelos EUA na Guerra do Vietnã]

“Você quer me colocar na prisão? Tudo bem, vá em frente. Estou na prisão há 400 anos. Posso ficar lá por mais quatro ou cinco, mas não vou viajar 10 mil milhas para ajudar a matar outras pessoas pobres. Se eu quero morrer, morro aqui mesmo, agora, lutando contra você. Você é o meu inimigo, não o chinês, o vietcongue, o japonês. Você é o meu oponente quando quero liberdade. Você é o meu oponente quando eu quero justiça. Você é o meu oponente quando quero igualdade. Você quer que eu vá a algum lugar para lutar por você? Você nem se levanta por mim aqui na América, por meus direitos, meus credos!” [Em resposta à autoridade policial que foi prendê-lo em 1965 por ter se recusado a lutar pelos EUA na Guerra do Vietnã]

Liberdade

“Eu sei para onde estou indo e conheço a verdade. Não tenho de ser o que você quer que eu seja. Sou livre para ser o que quero.”

Viver e morrer

“Viva como se cada dia fosse o último, porque um dia você estará certo.”


Receita de vida

Certa vez, perguntaram a Muhammad Ali o que gostaria que as pessoas pensassem sobre ele depois que morresse. Eis a sua resposta:

“Eu gostaria que eles dissessem: ‘Ele pegou alguns copos de amor. Pegou uma colher de sopa de paciência, outra de chá de generosidade. Tomou um litro de bondade e deu um litro de sorrisos. Colocou uma pitada de preocupação e depois misturou vontade com felicidade. Ele acrescentou muita fé e mexeu tudo isso muito bem. E, então, serviu para cada pessoa merecedora que encontrou pelo caminho’.”


Eles disseram...

“O universo do esporte sofre uma grande perda. Muhammad Ali era meu amigo, meu ídolo, meu herói. Passamos muitos momentos juntos e sempre mantivemos contatos todos esses anos.”

Pelé, ícone mundial do futebol

“O que está acontecendo? Nós estamos perdendo todos os nossos tesouros nacionais. Os pilares de nossa humanidade. Ele era o maior, esse homem, rei, herói e ser humano! Palavras não podem expressar. Ele mexeu com o mundo. Que Deus o abençoe!”

Madonna, cantora norte-americana

“Além de ser um grande boxeador, ele era um belo e gentil homem com um grande senso de humor, que frequentemente poderia tirar cartas da manga, não importasse quão luxuosa a situação, e fazer um truque para você.”

Paul McCartney, ex-beatle

“Muhammad Ali foi o maior. Ponto. Se você perguntasse a ele, ele teria dito isso a você. E diria que foi duplamente o maior, que ele seria ‘relâmpago algemado, um trovão jogado na cadeia’.”

Barack Obama, presidente dos EUA


Saiba mais

www.muhammadali.com

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição