Sexta, 10 de junho de 2016

Pelos mares do mundo

O fotógrafo e oceanógrafo Marcelo Skaf comemora seus 20 anos de trajetória com obra que traz 130 fotos inéditas de suas principais expedições ao fundo do mar

Luciano Lopes - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Tubarão caribenho de recife

Tubarão caribenho de recife "pintado" pela luz do flash em Nassau, Bahamas (2003) - Imagens: Marcelo Skaf

Há alguns dias, chegou às minhas mãos o livro “Pelos Mares do Mundo”, uma compilação de imagens da biodiversidade marinha feita pelo fotógrafo e oceanógrafo carioca Marcelo Skaf. Ao abri-lo, tive uma explosão de sentidos e indagações.

Quando vemos uma floresta desmatada, isso nos causa uma tremenda indignação, não é verdade? Mas ver a beleza que ainda sobrevive no fundo do mar, longe dos olhos e do capitalismo nada sustentável, me levou à reflexão. Estamos preparados para ficar sem todas essas maravilhas? Deixaremos que elas sejam destruídas pela nossa ignorância? Como está a situação de nossos mares hoje?

Fui buscar as respostas com o próprio Marcelo. “Não podemos nos dar ao ‘luxo’ de lidar com o mar de forma tão inconsequente e amadora. A situação dos oceanos hoje é gravíssima. Em termos de recifes de coral, temos sérios problemas de branqueamento e poluição. Isso sem contar a sobrepesca, a ocupação de áreas de manguezais e zonas costeiras, mais a pressão imobiliária. A preservação efetiva não está no mesmo patamar que o nível de consciência ambiental.”

“Pelos Mares do Mundo” é um balanço das duas décadas de trabalho de Marcelo, que também é consultor em Oceanografia, Planejamento Ambiental de Parques Nacionais e documentarista de natureza. Toda essa aventura começou aos 12 anos de idade, quando pela primeira vez colocou uma máscara de mergulho e entrou no mar. “A partir daí, minha vida mudou. Foi uma paixão sem volta”, disse.

Ele conta que, dois anos após o episódio, pediu à mãe que o matriculasse em um curso de mergulho. Mais tarde, largou o curso de Engenharia para se formar em Oceanologia pela Fundação Universidade Rio Grande (FURG). Hoje, é um dos maiores conhecedores da costa brasileira e já realizou expedições aos cinco oceanos da Terra, incluindo belíssimos mares como o do Caribe e o Vermelho.

 “Há locais no planeta em que você não consegue sair da água da mesma forma que entrou. E um deles é Galápagos, um lugar que me marcou muito. Em um dos meus mergulhos lá, fiquei no meio de um cardume de tubarões-martelo e, na sequência, passaram arraias douradas, um tubarão-baleia e alguns golfinhos. Foi inesquecível, saí em êxtase da água!”, afirmou.

As 130 imagens que ilustram as 80 páginas do seu livro, feitas em lugares como Moçambique, África do Sul, Antártica e Nova Zelândia, mostram paisagens submarinas, detalhes e texturas de seres marinhos – desde espantosas baleias-jubarte até um cavalo-marinho pigmeu de apenas três milímetros: “A ideia é que as pessoas vejam o que pensaram que não existia, que não é comum aos olhos do cotidiano. Além do encantamento, que elas comecem a se preocupar que o que veem no livro tem de ser conservado. Não podemos destruir uma coisa tão bonita”. Confira:

Quem é ele:

Nascido em São Paulo e mergulhador desde os 15 anos de idade, Marcelo Skaf é formado em Oceanologia pela Fundação Universidade Rio Grande – FURG. Foi um dos fundadores do Instituto Baleia Jubarte e, durante três anos, diretor do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos. Fotógrafo e cinegrafista há mais de duas décadas, juntou suas duas paixões (a câmera e o fundo do mar) e participou de inúmeras expedições de mergulho, do qual também é instrutor NAUI, com uma experiência de mais de 3.000 mergulhos.

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário