Segunda, 06 de junho de 2016

“Dê amor. E Deus cuidará do resto”

Filme “O Começo da Vida”, da cineasta Estela Renner, traz nova reflexão sobre o cuidado com os primeiros anos de vida para a formação de seres humanos bons, éticos e respeitosos com o próximo e a natureza

Eloah Rodrigues - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer
Imagens: Divulgação

Imagens: Divulgação

Uma obra para assistir, se emocionar e se alegrar. São essas as percepções e sensações de quem assiste ao filme “O Começo da Vida”, da cineasta e roteirista Estela Renner. Ao afirmar que os bebês são mais do que apenas carga genética, a neurociência apontou uma nova reflexão que já é dada como fato: o bom desenvolvimento de um ser humano está diretamente ligado à qualidade da relação com o ambiente em que está inserido.

“Ao longo de dois anos de produção, meu sentimento crescente era de que em cada bebê existe um mundo, e que cuidar do bebê é cuidar deste mundo. Quando a gente cuida, a gente se transforma, não é uma relação de doação simplesmente. É uma relação a dois, eu sou porque tu és, como um dos especialistas um dia citou. É através das relações humanas, principalmente com um ser em formação, que o mundo terá a capacidade de vir a ser a potência que ele tem para ser”, afirma Estela, que além de diretora de cinema é cofundadora da Maria Farinha Filmes, que produziu “O Começo da Vida”.

Este contato com o cinema e o universo da infância não é novidade na vida da cineasta. Nascida em São Paulo na década de 1970, ela herdou da avó o gosto pela sétima arte. Ainda menina, admirava e acompanhava sua avó paterna, dona Cilú, registrando a família com uma câmera na mão. A vivência a marcou tanto que serviu de estímulo para a descoberta futura de sua própria profissão.

Após um trabalho voluntário em uma creche na fronteira do México com os Estados Unidos, decidiu ser cineasta. Especializou-se na temática da infância por acreditar, verdadeiramente, tanto na importância dessa fase da vida quanto na possibilidade da transformação positiva da sociedade por meio do cinema.

Estela já acumula um currículo com três longas: “Criança, a Alma do Negócio”, lançado em 2008. “Muito Além do Peso”, em 2012. E, finalmente, “O Começo da Vida”, lançado agora em 2016, e que nasceu a partir de um pedido de três instituições dedicadas à causa da infância: a Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, a ONG Instituto Alana e a Fundação Bernard van Leer. Assim surgiu a nova imersão de Estela no mundo dos bebês.

Gravado em oito países - Brasil, China, EUA, Canadá, Itália, Argentina, Quênia e Índia -, o filme traz depoimentos de mães e pais, médicos, cientistas, psiquiatras, educadores, economistas e outros, todos envolvidos na temática da primeira infância (da gestação aos seis anos de idade).

A todo momento, e sem abandonar o foco das primeiras relações das crianças com o mundo, a diretora não hesita em concluir, assim como a máxima utilizada por tantos filósofos, que “o homem é fruto do meio”. Estela Renner preconiza que os bebês são o “recomeço da humanidade”, revelando o amor como alimento primordial para o desenvolvimento equilibrado e sadio de toda criança.

Há no filme, inclusive, uma passagem em que um jovem pai é questionado sobre o que ele faz para que seu filho cresça assim, tão rápido, bonito e saudável. A resposta foi curta: “É só amor. Deus cuida do resto”.

Também por acreditar nessa receita tão simples e infalível, a Ecológico selecionou trechos de depoimentos dos participantes desse imperdível filme que em muito contribui para que fiquemos atentos e vigilantes à educação e ao amor às nossas crianças. Certos de que estão centradas nelas as nossas verdadeiras esperanças de um mundo melhor para se viver, mais desenvolvido, socialmente mais justo e ambientalmente mais preservado!

Boa leitura!       

Estela Renner: sensibilidade - Imagem: Paula Lobo/Divulgação 

CAPACIDADE
“Sabemos que os bebês são as melhores máquinas de aprendizagem do universo.”

 “Até os seis meses, bebês são cidadãos do mundo. São capazes de distinguir os sons  de qualquer língua.”

“A cada segundo, o cérebro de um bebê faz  de 700 a 1.000 novas conexões.”

“Eles não vêm prontos. Mas estão prontos para aprender.”

CRIATIVIDADE
“Crianças são as inovadoras originais do mundo.”

APRENDIZAGEM
“Os bebês não aprendem com vídeos e nem com a TV. Eles aprendem da interação com outras pessoas.”

“Os seres humanos aprendem mais e mais rápido da gestação aos três anos do que em todo o resto de suas vidas.”

“Nos primeiros cinco anos, os bebês são supermaleáveis às experiências que eles vivem. Antes pensávamos neles como folha em branco, desenvolvendo-se em um ambiente confuso. Agora sabemos que são os melhores cientistas do Universo e os melhores aprendizes sobre o que sabemos do Universo.”

TEMPO DO AMOR
“Se você não ouve as crianças, você as perde.” 

“Eles só se importam se nós, pais, estamos presentes.”

“Se você conquista a criança, conquista o adulto.”

HUMANIDADE
“A mãe é o primeiro exemplo de humanidade que a criança tem contato.”

“A relação afetiva de coração para coração é que vai estruturar aquele indivíduo.”

MISSÃO
“Compreender que você está trazendo uma nova vida para o mundo, me pareceu o trabalho mais importante que eu jamais poderia ter.”

“O mais importante é que eles tenham uma vida livre, que encontrem seu próprio desejo.”

MATERNIDADE
“Ser mãe me tornou uma pessoa mais humilde.”

“A mãe é suprema. Acho que existe uma questão biológica. As pessoas não gostam de admitir,
mas ela existe.”

PATERNIDADE
“O papel do pai é  fundamental e diferente, de ir mostrando para a criança que existe um mundão lá fora, para além da mãe.”

“Pais que se envolvem, que passam mais tempo com seus filhos, liberam hormônios que os fazem mais felizes.”

EXPERIÊNCIA
“Eu aprendi mais com meu filho em dois anos do que eu aprendi na minha vida inteira.”

SIMPLICIDADE
“As crianças vêm novidade nas coisas mais simples.”

AMOR MATERNO
“Este amor é uma parte importante da economia que não é totalmente reconhecida pela sociedade.”

 “A mãe e todo esse oceano de capital humano investido na criança, cuja parcela maior vem da mãe, é uma parte muito importante da economia.”

“Quando as crianças não recebem esse amor, elas se sentem sem centro, estressadas. Este tipo de negligência pode afetar muito o desenvolvimento cerebral dessa criança e seu comportamento mais tarde.”

GRATIDÃO
“Mães adolescentes, mães mais velhas, mães homossexuais, mães solteiras, todas  merecem companhia, amizade,
afeto e solidariedade.”

SATISFAÇÃO
“Eu vou até o céu quando vejo meu filho batendo palminha.”

INVESTIMENTO
 “Os primeiros anos são como construir a estrutura de uma casa. E será sobre ela que toda a casa será construída.”

“Não se volta atrás com o desenvolvimento do cérebro. Você tem que construir em cima do que foi feito no começo.”

“Custa dinheiro, mas é muito mais barato cuidar dos primeiros cinco anos do que tratar dos problemas futuros.”

“Os programas de primeira infância diminuem drasticamente a criminalidade e dão às crianças controle sobre suas próprias vidas.”

VÍNCULO
“O afeto é um isolante nas ligações entre neurônios. Uma vez ligados, vem o afeto e faz com que
seja tão forte que nunca mais se desfaça.”

“Não se importe em dar ao seu filho brinquedos caros e tecnológicos. Você é a coisa mais importante na vida da criança. Este vínculo que você constrói com seu filho faz toda a diferença no mundo.”

CRIAÇÃO
 “Criar uma criança não é uma ciência, é uma arte.”

 “Como se pode pensar num mundo de paz, de bem aventurança, onde o começo da vida não é levado em conta?”


Fique por dentro

“O Começo da Vida” é um filme que percorre os quatro cantos do mundo para mostrar a importância dos primeiros anos de vida na formação de cada pessoa. A estrutura narrativa do filme apresenta o bebê não como uma tábula rasa, mas como um indivíduo competente, capaz de elaborar hipóteses para melhor entender o mundo. E revela seu desenvolvimento por meio de seus relacionamentos primordiais com sua mãe, seu pai, seus irmãos, seus avós, seus cuidadores, e ainda com a natureza, com suas brincadeiras e experimentações, e com as histórias que são contadas a ele. O filme está em cartaz nos cinemas e em exibições públicas gratuitas pela VIDEOCAMP.


Assista ao trailer do filme:

Saiba mais

www.ocomecodavida.com.br

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário