Quarta, 04 de maio de 2016

O caminho para a sustentabilidade

Iaçanã Woyames - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer

A inovação pode trazer soluções para os grandes problemas ambientais, como a crise hídrica e energética, o gerenciamento de resíduos sólidos e a poluição do ar? É possível estimular novos modelos de negócios visando um menor impacto, aliado ao retorno econômico?

Estas e outras questões vão nortear, doravante, esta nova seção da Ecológico, intitulada “Inovação Ambiental”. Esta prestação de serviços aos nossos leitores, assinantes e anunciantes faz parte de uma parceria entre a Revista Ecológico e o FIP Inseed FIMA, primeiro fundo do Brasil destinado ao segmento de inovação aplicada ao meio ambiente, criado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).

 A proposta é que essa coluna crie um espaço para o debate sobre os pilares do empreendedorismo e do meio ambiente, baseados em vetores de inovação. E apresentar temas e histórias de empresas que ampliam de forma significativa o impacto positivo de seus negócios no mundo, desenvolvem a economia com mais equilíbrio ambiental e alta rentabilidade, e ainda inspirem novos negócios e executivos.

Nesta edição, Alexandre Alves, diretor de Inseed Investimentos e também conselheiro do Instituto de Pesquisa em Meio Ambiente (IPE), faz um panorama sobre a inovação ambiental.  E como um “caçador” de exemplos inovadores pelo país, compartilha os aprendizados colhidos pela Inseed Investimentos - gestora do Fundo Inseed FIMA e especialista em empresas inovadoras “early stage” -, em seu trabalho de identificar e desenvolver negócios inovadores em meio ambiente pelo Brasil e o mundo afora. Confira sua entrevista inaugural:

Como podemos definir inovação ambiental?

Ela é o uso adequado de inovação tecnológica a favor do meio ambiente. E quem pode fazer isso? O empreendedor, pois implica em criatividade, capitalismo consciente, equilíbrio e, claro, inovação. O mundo não precisa ser salvo, ele precisa ser empreendido. E o novo empreendedor precisa utilizar o acesso que a evolução tecnológica nos proporciona. Grande parte dos problemas ambientais atuais, que foram gerados com a industrialização ou com a urbanização, podem ser acolhidos, equacionados e até minimizados com a aplicação de inovação tecnológica em diversas áreas. Ao trazermos a temática “inovação ambiental”, queremos convidar o empreendedor a ter um novo olhar sobre o meio ambiente.

Por que inovação ambiental é a agenda do século 21?

Diria que empreendedorismo, inovação e meio ambiente são os grandes temas. Tudo que a gente fizer do ponto de vista industrial, econômico, urbano ou agrícola tem que estar dentro de uma equação de menor impacto: como recuperar aquela matéria-prima? Como fazer uma melhor compostagem? Como usar menos agrotóxico? Como fazer mais coisas orgânicas? Mas tudo isso também pensando em rentabilidade e economia. Pois o sustentável, a princípio, não pode ser mais caro, se não cria-se uma restrição. A nova agenda do século XXI implica inovações tecnológicas e a capacidade de empreendê-las, com o olhar sobre o meio ambiente sempre presente.

Dentro dessa grande agenda, foi criado o FIP Inseed FIMA – Fundo de Inovação em Meio Ambiente. Como ele pode contribuir?

Entre as iniciativas de inovação, existe um espaço para as pequenas e médias empresas inovadoras que buscam desenvolver soluções que impactam direta e positivamente o meio ambiente. A principal questão dessas empresas menores é ter acesso a recursos para conseguir fazer isso em escala maior e velocidade.

Da mesma forma que as grandes empresas industriais têm muito recurso para explorar e para produzir, as pequenas e médias também deveriam ser capazes de acessar recursos para desenvolver suas soluções inovadoras. E, assim, gerarem grande impacto no meio ambiente. Aí se situa o Fundo FIP Inseed FIMA, criado pelo BNDES e gerido pela Inseed Investimentos. Empresas do setor de tecnologias limpas, com faturamento de até R$ 20 milhões ao ano, podem se candidatar a receber aporte de capital do Fundo. São R$ 165 milhões de capital comprometido para aporte em até 20 empresas até o fim de 2016.  O Fundo contempla três eixos de investimento: Soluções Ambientais, Tecnologias Avançadas e Agropecuária Sustentável, e Novos Modelos. Para se informar melhor ou fazer a inscrição é só acessar www.inseedinvestimentos.com.br/fundos/fima/.

Alexandre Alves, nosso novo colunista: "O mundo não precisa ser salvo. Ele precisa ser empreendido de maneira sustentável" - Imagem: Pedro Queiroz

Poderia citar alguns exemplos?

A TBIT, empresa de Minas Gerais, que nasceu na Universidade Federal de Lavras (UFLA). Ela trouxe o olhar da inovação tecnológica para a análise de sementes. A investida conta com uma plataforma tecnológica que alia hardware e software, por meio do qual as análises manuais, sujeitas a interpretações humanas subjetivas, são substituídas por análises digitais, realizadas com base em parâmetros pré-estabelecidos. A tecnologia traz mais agilidade, confiabilidade, precisão e padronização ao processo. Gera sementes, grãos e plântulas de melhor qualidade e contribui para a solução do desafio da segurança alimentar, uma preocupação global. Outro exemplo, vindo do Rio de Janeiro, é a CHP, que trabalha com a tecnologia da geração distribuída a partir do gás e do biogás. Em vez de as empresas comprarem um gerador, por exemplo, a óleo diesel, elas podem considerar a opção de fazer uma parceria com empresas fornecedoras de gás local. Ou implantar geradores de gás ou biogás em conjunto com empresas do mesmo setor ou região. Estes são apenas dois exemplos da carteira de investimento do Fundo Inseed FIMA, que demostram como pequenas e médias empresas podem, com recursos deste fundo, crescer, se tornar S/As. E potencializar o impacto de suas tecnologias. Por resolverem problemas globais de alta complexidade, tanto a TBIT como a CHP têm potencial para se tornar empresas de alcance mundial. Isso só é possível por meio do investimento e aceleração em negócios, cujo diferencial é a inovação e a tecnologia.

Saiba mais

http://www.inseed.com.br

alexandre.alves@inseed.com.br

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição