Segunda, 02 de maio de 2016

Pelas águas do planeta

Com a companhia poética de Drummond e a mensagem amorosa de dois Franciscos - o Papa e o Santo -, sexta edição do Prêmio Hugo Werneck traz um novo olhar para a questão hídrica e mineral

Luciano Lopes - redacao@revistaecologico.com.br



font_add font_delete printer

“Louvado seja, meu Senhor, pela irmã Lua e as estrelas, que no céu as formaste claras, preciosas e belas.”

“Louvado seja, meu Senhor, pela irmã Água, que é mui útil e humilde. E preciosa e casta.”

“Louvado seja, meu Senhor, pela nossa irmã e mãe Terra, que nos sustenta e governa. E produz frutos diversos e coloridas flores e ervas.”

Quando São Francisco de Assis escreveu o “Cântico das Criaturas”, que traz os belos trechos que abrem esta edição especial da Revista Ecológico, estava enfraquecido pelos estigmas e enfermidades. Ainda assim, quis deixar para a humanidade um hino de amor a Deus e à Criação.

Foi essa mensagem de exaltação e amor à natureza que se fez ecoar na solenidade de entrega do “VI Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade”, em 23 de março último, na capital mineira. A lua cheia, que teimava em se sobrepor às nuvens que emolduravam o céu e as montanhas de Minas, em plena “Semana Mundial da Água”, parecia abençoar o evento, que deveria ter acontecido ano passado, mas acabou adiado duas vezes em respeito às vítimas e ao meio ambiente degradado pela tragédia da mineração em Mariana.

Na companhia do santo, outro Francisco também foi lembrado e homenageado por seu exemplo ecológico em 2015: o pontífice da Igreja Católica, Papa Francisco. Por meio da encíclica “Laudato Si”, que faz um convite ecumênico pela preservação do planeta Terra, a nossa “Casa Comum”, ele consolidou, de forma segura e consistente, a posição da Igreja frente aos desafios que devemos vencer para equilibrar desenvolvimento e sustentabilidade. E condenou a “sutil ditadura” do capitalismo, que impõe a lógica fracassada do lucro pelo lucro.

“Lanço um convite urgente para renovarmos o diálogo sobre a maneira como estamos construindo o futuro do planeta. Precisamos de um debate que una a todos, porque o desafio ambiental que vivemos e as suas raízes humanas dizem respeito e têm impacto sobre todos nós”, afirma ele no documento.

E emenda o coro para que, finalmente, possamos escutar o grito de dor da Terra: “Esta nossa irmã clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la. A violência, que está no coração humano ferido pelo pecado, vislumbra-se nos sintomas de doença que notamos no solo, na água, no ar e nos seres vivos”.

Isso é perceptível, inclusive, tanto no Rio Doce quanto no Velho Chico, desintegrados pela poluição, o desmatamento e o assoreamento de suas margens e afluentes. Na noite de bons exemplos que o Prêmio Hugo Werneck consagrou, o Rio da Integração Nacional também foi mais um Francisco a nos pedir socorro e atenção.

 

Corrente de amor

Tal como os Franciscos, o espírito e o recado poéticos de Drummond também se fizeram presentes

Mais de 300 pessoas, incluindo ambientalistas, empresários, autoridades, publicitários, técnicos e especialistas em meio ambiente, energia renovável, mineração, gestão e espiritualidade, além de assinantes, anunciantes e leitores da Revista Ecológico, participaram do evento.

Ele foi realizado no Teatro do SICEPOT-MG (leia mais a seguir), a casa sustentável do setor de Construção Pesada em Minas Gerais. E contou com a participação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Olavo Machado, do ator Victor Fasano, do jornalista André Trigueiro – vencedor na categoria “Personalidade do Ano” –, e Dom Joaquim Mol Guimarães, bispo-auxiliar da Arquidiocese de BH, reitor da PUC Minas e membro do Conselho Cultural do Vaticano, que recebeu o prêmio “Destaque Internacional” em nome do Papa Francisco, entre outras autoridades.

Sob o tema “Pelas Águas do Planeta – da Caixa D’Água do Brasil à Terra das Cataratas”, o “VI Prêmio Hugo Werneck” teve 78 projetos selecionados de 13 estados brasileiros – Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e São Paulo, mais Distrito Federal. Um aumento de 64% de participação nacional em relação ao ano anterior.

Ao todo, 18 projetos e indivíduos que se destacaram por seu exemplo em prol da sustentabilidade e da vida foram reconhecidos nesta edição do prêmio. Entre eles, estava o poeta Carlos Drummond de Andrade, responsável por um novo pensamento – leia-se mais amoroso, ecologicamente correto e socialmente mais justo - na atividade minerária. Durante todo o evento, frases sobre natureza do escritor itabirano cruzaram o telão do palco principal. Somada aos vídeos da campanha “A Natureza Está Falando”, da ONG Conservação Internacional, que visa inspirar a sociedade e promover o debate sobre a importância da natureza para o bem-estar humano, a poesia de Drummond nos mostrou que “a natureza não faz milagres. Faz revelações”.

Se quisermos lutar para que ela continue a nos dar alimento e água, revelando mais que a sua importância para a nossa sobrevivência, devemos fazê-lo de forma equilibrada e respeitosa. De “mãos dadas”, como diz os versos do poema de Drummond, que encerraram o evento: “Estou preso à vida e olho meus companheiros. Estão taciturnos, mas nutrem grandes esperanças. Entre eles, considero a enorme realidade. O presente é tão grande, não nos afastemos. Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas”.


A benção de Anastasia

Educação ambiental: durante o governo Anastasia, a Revista Ecológico passou a ser adotada em todas as escolas públicas de ensino fundamental de Minas - Imagem: Gláucia Rodrigues

Mensagem do ex-governador e atual senador relembra os ensinamentos do mestre

“Nada mais justo, meritório e digno de nosso aplauso, a outorga do ‘VI Prêmio Hugo Werneck’ àqueles que se destacam por suas ações para a recuperação e a preservação do meio ambiente. O prêmio torna-se ainda mais especial nesta sua sexta edição ao fazer distinta homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade, que buscava na natureza inspiração para seus versos, exaltando-a com beleza incomum.

O tema escolhido para esta edição é representativo. Vivemos no Brasil uma crise hídrica das mais violentas, já resultante do destempero climático do planeta. E nós – cidadãos, governos e empresas – temos que agir. Há que se aprimorar as ações e os investimentos em educação ambiental, na recuperação de áreas degradadas, no desenvolvimento de novas tecnologias e, lembrando aqui a recente tragédia em Mariana, na efetiva fiscalização dos empreendimentos e na preparação de planos de contingências eficazes. Enfim, temos que ter um olhar especial na promoção de uma economia verde cada dia mais forte.

Agradeço o amável convite para participar da solenidade de premiação este ano. Lamentavelmente, não pude estar presente para aplaudir e saudar os vencedores desta edição. Assim, peço a gentileza de transmitir a cada um deles os meus sinceros cumprimentos.

Que os princípios dos ensinamentos do doutor Hugo Werneck - ‘conhecer, amar e cuidar da natureza’ - estejam sempre presentes em suas ações.”

Os vencedores do Prêmio Hugo Werneck 2015:

Melhor Exemplo em Comércio de Bens e Serviços

Projeto Alambique Escola, Cachaça Taverna de Minas

 

Melhor Exemplo em Educação Ambiental

Projeto Navegando com o Theo pelo Rio das Velhas, TantoExpresso/Semad

 

Melhor Exemplo em Fauna

Projeto Pirarucu, Ibama Amazonas

 

Melhor Exemplo em Mobilização Social

André D’Elia, diretor do documentário “A Lei da Água”

 

Melhor Exemplo em Água

Projeto de Recuperação de Nascentes do Município de Paracatu, Kinross

 

Melhor Exemplo do Terceiro Setor

Fundação Amazonas Sustentável

 

Destaque Municipal (1)

Projeto Ipiranga Sustentável, Prefeitura Municipal de Ipiranga

 

Destaque Municipal (2)

Duarte Eustáquio Gonçalves Júnior, prefeito de Mariana

 

Destaque Estadual

Projeto Reciclar, Emater

 

Destaque Nacional

Projeto Conservador das Águas, Prefeitura Municipal de Extrema

 

Melhor Empresa

Fiat Chrysler Automobiles (FCA)

 

Melhor Empresário

Luiz Otávio Pôssas Gonçalves

 

Melhor Projeto de Parceiro Sustentável

Estação Ciência, Anglo American

 

Melhor Parceiro Sustentável

Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig)

 

Personalidade do Ano

André Trigueiro, jornalista

 

Homenagem

Carlos Drummond de Andrade

Léo Santana, artista plástico

 

Homenagem do Ano

Programa Cultivando Água Boa, Itaipu Binacional

 

Destaque Internacional

Papa Francisco


Continue lendo a reportagem completa sobre o VI Prêmio Hugo Werneck:

Pelas águas do planeta

Por que o rio São Francisco? Por que o amor?

Pela sustentabilidade do planeta

Acolhida sustentável

Conheça os vencedores do VI Prêmio Hugo Werneck

Compartilhe

Comentários

Nenhum comentario cadastrado

Escreva um novo comentário
Outras matérias desta edição